Socorro! Estou apaixonado.

Sexta feira, 29 de Agosto de 2008.

Se estar apaixonado é um sentimento capaz de impulsionar alguém a comer as unhas; perder o sono; ou arrancar os cabelos; por quais motivos, com mil raios, é a meta prioritária do gênero humano? Saiba mais, lendo o post.

Quiz show: qual a relação entre o verso "mas que seja infinito enquanto dure", da obra Soneto do Amor Eterno, de Vinícius de Moraes, e a fábula de Esopo, reescrita por La Fontaine, A Raposa e as Uvas? Nenhuma? Errou! Lamento. Mas, anime-se! Provavelmente você está apaixonado(a). E isto é bom, não é? No entanto, há controvérsias. Melhor cercar-se de cuidados com certas ilações.
Na fábula, a raposa tenta, sem sucesso, comer um cacho de uvas pendurado em uma vinha. Sem conseguir, se afasta, afirmando que as uvas estariam verdes. Moral da história: é fácil ignorar aquilo que não se pode obter.
De igual modo, no referido verso do soneto, sabedor, na prática, da quase impossibilidade da paixão eterna, o poeta utiliza-se de um artifício literário no verso "que seja infinito enquanto dure" para romantizar a intensidade do amor, ademais de transmitir a sensação da paixão eterna, infinita.

Ninguém é mais feliz que um bebê. Dorme durante boa parte do dia; ri à toa; não paga imposto; se alimenta a hora que bem quiser; não deve nada a ninguém e, sobretudo, não está apaixonado. Ora, direis, "e se possível fosse a um bebê apaixonar-se, acaso este não riria à toa?" Riria, sim! Contudo, não mais à toa. Isto é, riria menos. Melhor, somente riria por um motivo realmente engraçado.
Não faz muito tempo, reencontrei uma ex-colega de um curso de Tai Chi Chuan, praticamente desprovida de unhas. "Alguma doença dermatológica?", indaguei. "Não", disse ela, "estou apaixonada! Não paro de roer as unhas". Estar apaixonado(a) é um sentimento que sobrepõe-se à lucidez e à razão. De certo modo, assemelha-se à circunstância de ter um sócio em um empreendimento comercial, i.é., o estado de serenidade de cada um, após a formação da sociedade, jamais será como antes: "Humm... eu juraria que falta oitenta e cinco centavos nesta prestação de contas!"

Outrossim, se estar apaixonado é um sentimento capaz de impulsionar alguém a comer as unhas; perder o sono; ou arrancar os cabelos; por quais motivos, com mil raios, é a meta prioritária do gênero humano? Elementar, caro leitor, tudo por culpa... ops... quero dizer, por causa dos poetas.
No princípio era o verbo... ops 2... digo, o verso. Sim, senhora! A Ilíada, A Odisséia, A Divina Comédia, Os Lusíadas, tudo isso, foi escrito em versos.
No segundo parágrafo me referi ao artifício literário empregado por Vinícius de Moraes no Soneto do Amor Eterno. "Artifício?", diria, brava, a poetisa Isabel Mendes Ferreira:"como ousa insinuar que, nós, poetas, recorremos a artifícios?" "Humpft!", resmungaria a poetisa Gabriela R. Martins, em apoio à colega". "Insolência", arremataria o escritor meio-maldito e poeta de cemitério Klatuu Niktos, aka Lord of Erewhon, "numa monarquia, tal afronta jamais seria tolerada". Teiquirisi, turma! Referia-me à licença poética, este instrumento de poder capaz de matar de inveja a Stalin, Idi Amim, Mussolini, Salazar e Franco, se vivos fossem. A licença poética, como o próprio nome diz, concede ao poeta a liberdade de expressar toda a sua criatividade sem sujeitar-se às regras gramaticais. As palavras são manipuladas de várias formas: versos com métrica irregular, rimas falsas e até o uso de palavras aparentemente escritas de maneira errada.

Assim, munidos de tais salvaguardas, os poetas encantam o mundo com os seus escritos, especialmente quando discorrem sobre o amor. Veja como o poeta alemão Rainer Maria Rilke refere-se à sua amada, no poema Dançarina Espanhola: "... E logo ela é só flama, inteiramente. / Com um olhar põe fogo nos cabelos / e com a arte sutil dos tornozelos / incendeia também os seus vestidos / de onde, serpentes doidas, a rompê-los, / saltam os braços nus com estalidos..." Caramba, che! Una pasión inmensa, ¿no? Tão inspirador que, dá ímpetos de dormir agarradinho(a) com a(o) amada(o) por toda a noite, ainda que tal evento comprometa o nervo ciático pelos próximos três meses. Por outro lado, se o poema fosse um texto escrito por um mortal comum, afora um poeta, e descrevesse uma circunstância real, quais providências urgiriam em vez da vontade de dormir agarradinho(a) com a cara-metade? Primeiro, telefonar com urgência para os bombeiros, pois a moça arde em chamas; segundo, chamar o pessoal do Instituto Butantã para capturar as serpentes ensandecidas. Analisemos outros versos de Rilke, do poema Os Poetas Se Tem Disseminado: "... Andei errante por diversos ventos; / mil vezes eras tu que me empurravas..." Lindo, não? Após tal leitura, o impulso de apaixonar-se é imediato: "amanhã mesmo mandarei flores e convidarei para um café, aquela linda garota da biblioteca". A bem da verdade, frequentemente tal impulso é seguido de um leve receio: "humm... e se ela não aceitar?" Percebam que, no amor, a ansiedade e o receio manifestam-se ainda na fase da pré-paixão. Outrossim, levando os versos ao pé-da-letra, duvido que uma garota suportasse empurrar por mil vezes o seu amado, com o fim de direcioná-lo.

Advertência: Rilke é um dos meus poetas prediletos. Em nenhum momento intencionei depreciá-lo - ou à sua obra, com as brincadeiras acima.
Este post é dedicado a todos os poetas, eternos encantadores dos sentimentos. ;o)

125 comentários:

São disse...

Sou a primeira, pela primeira vez?!

Sabe que António Alçada Baptista, escritor português, diz que a paixão é uma doença da atenção?

Boa semana, caro Oliver.

Lu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paradoxos disse...

Voltei de lá. da minha ausência amigo. bela homenagem aos matemáticos do sentir!!

abraços fraternos


Edu

biazinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
biazinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
isabel mendes ferreira disse...

Fico com Rilke.!!!!



e


deixo uma cesta cheia de sílabas amadas e amantes da estrada que nos leva ao mundo dos sentimentos.



.


até logo.
:)


(e nem acrescento mais nada....)

______________perdi o "jeito".


o b r i g a d a !!!!!

Gata Verde disse...

Paixão...é o tema da semana!!!
Eu estou e tu?

beijos

Zé do Cão disse...

Nos tempos de juventude, as minhas paixões eram resolvidas assim: Quando uma acabava e queria esquecer, arranjava logo outra e estava o problema resolvido.
às vezes ainda não tinha acabado e já tinha outra pronta para entrar no coração sempre aberto do Zé.
- -
Sobre os condomínios, aqui é a mesma coisa. Não pagam, faltam às reuniões,
não cumprem com regulamentos e está o caso encrencado.
Aqui na nossa vizinha Espanha é muito mais simplificado.
1º- A casa é a responsável pelo pagamento. Condómino que não pague, tem a casa penhorada.
Vejamos:- O condómino deve e não paga, através do tribunal numa acção sumária (que é muito rápida)
a casa é penhorada. Ninguém fica a dever.
Mesmo assim o condómino poderia vender a casa e ir embora sem pagar. Não pode. Porque o Notário no momento da escritura exige, documento autenticado pela Administração do Condomínio, que confirma se deve ou não deve.
Se não deve tudo bem, se deve é participado ao comprador que ao fazer a escritura de compra vai por lei assumir aquela divida, que terá de pagar no prazo estabelecido pela Administração.
Se não cumprir, levará a casa penhorada.
Sei tudo isto porque já tive casa na Galiza e assumi a divida do vendedor.

Simples e eficiente..........

Um grande abraço Oliver

f@ disse...

Lol... ha sim!... é o melhor...
eu tb... vou lá alementar a minha paixão ... o amor ...os afectos da ir às nuvens e voltar é um instante... já volto...
Olha PF vai às nuvens ...já que estás assim nem te custa muito... tem lá uma surpresa... xata para ti...
beijinhos das nuvens

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

A paixão é o tema da semana?
Estou tão mal de amores...
Eu vim do sol
e do vento dos campos
saí das pedras e do fogo da terra.
Não tive ventre.Meu alimento foi a tristeza.
Não tive início.Naõ terei fim.
Meus olhos choram ao olhar para trás com tamanha eterna eternidade

Gerlane disse...

Ahhhh! Perfeito! Caro Oliver, mais um post com as tuas exclusivíssimas características: inteligência e bom-humor!

Apaixonada? É raríssimo eu não estar! Não chego a roer as unhas, mas reviro a noite inteira na cama, estando só ou acompanhada.
Mas, amigo, preciso dessa adrenalina para que a vida me seja mais atrativa.

Uma ótima semana pra ti!

Beijos!

Mustafa Şenalp disse...

çok güzel site. :)

O Sibarita disse...

Rapaaaazzzzzzz... kkkk Esse Oliver não é brincadeira não! kkk

É aqui que bebo da fonte límpida do saber, faça fé meu véi!

Engraçado, agente ler tanto e depois cai no esquecimento por falta de interlocutor (es) numa discursão que possa os levar ao aprendizado de parte a parte!

Ai chegamos aqui, refrescamos a mémória nesse belo texto que só o Oliver sabe fazer! Parabéns!

Agora, é uma baita homenagem aos que se dizem e são poetas!

Eu, que não sou e nem me acho como tal, fico deveras sensibilizado!

abraços
O Sibarita

f@ disse...

Estado de permanência acima das nuvens…
Olhamos o mundo como bailarino num campo relvado… e rimos do crescimento acelerado da relva e do verde que se reflecte em tudo…
Sensibilidade fumada em ervas de chá verde…

“"que seja infinito enquanto dure"”

(En)canto em estado de sonho… perigo de se acordar num concerto auto.
De qualquer forma, vale para sentir… escutar esse encantado… indescritível som de bandolim…

Rainer Maria Rilke refere-se à sua amada, no poema Dançarina Espanhola: "... E logo ela é só flama, inteiramente. / Com um olhar põe fogo nos cabelos / e com a arte subtil dos tornozelos / incendeia também os seus vestidos / de onde, serpentes doidas, a rompê-los, / saltam os braços nus com estalidos..."
Só estas férias fiquei a conhecer este poeta… este foi logo o primeiro poema que li…
Adorei…
beijinhos das nuvens

Carol Barcellos disse...

Das 3 respostas que tenho em mente, deixarei um sorriso...

De qualquer forma, devo dizer que a genialidade aqui é sempre superada, post após post. Um post tão criativamente agridoce, em que se tem vontade de dar um tapa no escritor, e ao mesmo tempo sorrir, é o que faz ser tão interessante. Poderia deixar perguntas, mas não quero respostas, prefiro continuar a ler essa cortina translúcida que te esconde de maneira tão bem-humorada e inteligente. Excelente post!!!

Bjs dcs crstlzds!!! ;o)

P.S. Respondi a todos os gentis comentários da forma mais "crystal-rosed" possível.

Anne disse...

De política não saberia comentar, mas quem não conhece essa tal de paixão? Concordo com a Lu, não a desejo nem para um inimigo. Sentimento que bagunça demais as coisas, perturba o equilibrio.

E não ficam todos os sentimentos mais belos quando descritos pelas almas dos poetas? Até a dor é mais bela nas palavras deles.

Bom ver vc devolta! Beijos

Nadezhda disse...

A história da Raposa e das uvas eu conhecia d euma forma diferente. Mas acho que foi mais uma distorção que fizeram para as crianças (quando eu tin ha os meus 4 anos, na escola).

Mas o amor, e os poemas também, são coisas que eu levo um certo tempo pra entender. (Creio que o amor até hoje nunca entendi, nem o fato de estar apaixonada).

;)

biazinha disse...

"Tudo é ilusão neste mundo; o amor uma das maiores e mais epidêmicas."
Lord of Erewhon
O amor tem uma conceituação vasta e abstrata. Há filósofos, poetas e até nós, simples seres humanos a tentar torná-lo concreto em palavras, mas ele é arisco, multifacetado, subjetivo. E o amor é confundido com paixão, que é outro conceito abstrato. Sinto que é mais fácil dirigir o amor pra humanidade do que para apenas uma pessoa só. Eu acredito que amor e paixão se confundem. Vejo o amor como uma construção que se dá passo a passo. A paixão é aquela dose de adrenalina enlouquecedora que nos deixa de pena bamba, boca seca, o coração disparado, as mãos suando frio e aquela vontade de encontrar, de estar perto, que é super-gostosa... Dá o maior gás...é combustível que nos mantém vivos, que nos faz suspirar, escrever poemas, uivar pra lua e nos tornar adoráveis patetas.
O poeta de cemitério é o Lord e não o klatuu, eles tem heterônimos diferentes e são registrados na associação do escritores portugueses individualmente. Li o seu post de estréia, muito bom, mas discordo de seu teor parcialmente e já lhe respondi na NA.
Beijinho.

Gabriele Fidalgo disse...

Ótimo post.
Esse seu texto serve de reflexão.
Eu concordo com o comentário acima. E, apesar de escrever incansáveis textos passionais, acho que a paixão é fantasiosa demais. Vale pelos poemas de Vinícius, as músicas de Chico e os roteiros inspirados para o cinema.
Na verdade, eu gosto mais ainda dos contos que descrevem a realidade como ela é. Com detalhes sobre o começo, a duraçao e o fim da paixão. Só que o fim da paixão não implica necessariamente no término do amor.


Adorei o tema!

beijos.:*

maria josé quintela disse...

gostei muito do seu irreverente ensaio sobre a paixão!





um beijo.

Clarissa Barth disse...

Querido Oliver, fiquei feliz de reencontrar teus escritos! Estive aqui no final de semana, mas fiquei até sem-graça para deixar um comentário, porque a minha cozinha não tem sido muito aconchegante ultimamente, te oferecendo aquela lazanha fria!!!! Precisava dar uma arrumadinha na casa antes de dar as caras por aqui, então aqui estou! Te ofereço uma doce e sensual cheesecake, podes ver até a foto lá no meu blog e, te prometo, É ESPARTANA! Só no preparo, porque nas calorias, aiaiai... Quanto ao teu texto desta semana, sou uma criatura passional e incansável e acredito que é eterno enquanto dura! Também acho que a mulher impulsiona o amado mil vezes na direção que ELA quer, concordo com Rilke. Fiquei tão curiosa sobre a poesia da Dançarina Espanhola, mas tive a linda surpresa de poder conheçê-la na íntegra, esta manhã. Obrigada por bater na porta da minha cozinha, quando voltares te prometo guloseimas fresquinhas! Um beijo!

JC disse...

A paixão é um dos sentimentos mais bonitos da vida e de quem a vive. Na minha prespectiva dever sr vivida de uma forma racional, bem sei que não é fácil, mas pelo menos devemos tentar fazê-lo. Se a paixão dura uma vida não sei. O que sei e que acredito é que a paixão resulta de certeza, ou deve resultar num amor lindo vivido por duas pessoas, onde o respeito e o carinho devem imperar.
Abraço

gabriela rocha martins disse...

não poderia haver melhor post do que este teu para o meu regresso


[ um segredo ,apenas ,entre os dois ]

ESTOU APAIXONADA ,MAS AINDA NÃO SEI SE O AMO

acreditas?


.
um beijo
[ findo o mês sabático=férias ]

com senso disse...

Caro Oliver

Não só é bom estar apaixonado, como gostar de o estar... Estar sem medos, sem precauções, sem planejamentos, sem jogos... quase quase como um bébé estaria, caso um bêbê se apaixonasse.
Ao seu pedido de socorro, só posso responder com o desejo de que não só seja infinito enquanto dure, mas que dure até ao infinito...
Um abraço

Tarsilamenina disse...

E como dizia Renato Russo:"O amor,seja como for, é o amor..."

heretico disse...

"amor et tussis non celantur..."

gosto dos teus poetas!...

e Rilke é um dos predilectos.

abraços

(http://www.titeriteiro.blogspot.com/
dá uma olhada. julgo que te irá divertir)

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Passei por aqui.Uma boa semana para você.

Marianinha disse...

Help, eu tbém,,,rsss,,,,
Uma ótima terça-feira pra vc.
Beijo

Rafeiro Perfumado disse...

Não te preocupes, nunca poderias depreciar alguém que não faço a mínima ideia de quem seja! Abraço!

Dalinha Catunda disse...

Pense!!! num texto gostoso de se ler.

Oliver escreve tão bem,
nas palavras é um atleta.
Se continuar desse jeito,
não demora vira poeta.

Olá amigo, seu blog com novos textos e um layout invejável.
está digno de sua pessoa.
Um abraço,
Dalinha

Jo disse...

Sumido demais!

"...tem tantos sentimentos deve ter algum que sirva..."


(^.^)/*

Grazi Sperotto disse...

Muito bom te ler de novo!
Mas..."Provavelmente EU NÃO ESTOU apaixonado(a). E isto é RUIM, não é?" Olha, faz tanto tempo que não me apaixono que nem sei se é bom ou se é ruim....hahaha
Mas que poemas de amor só se fazm quando se sente amor, isto é ÓBVIO!
Ou quando se está desiludido, aí saem coisas de chorar, realmente...
Tô querendo um amor (mas só pra me inspirar pra escrever versos, tá certo?) hehe
Beijão querido!

Grace Olsson disse...

Oliver,

se apaixonar econtinuar nesse estado letárgico é ir além da RAZÃO.
O bom mesmo ´e quando ela dar lugar a um sentimento mais calmo e tranquilo.
No entanto, querido, não sei se a tranquilidade marca tanto quanto os momentos regados a morango, vinho, olho no olho, falta de preocupação, contas para pagar, etc.
Essa paixão deixa marcas...E como deixa...
Beijos e dias felizes

São disse...

Já lá fui (re)ler, mas quanto ao comentário, desconheço se entrou ou não!
Um abraço, Oliver.

Manuela disse...

Ora também me reconheço por ai, a tal de roer as unhas também podia ser eu, já quase nem existem de tanto roer.
E estou constantemente apaixonada, sempre estarei faz parte de mim.
Até por um simples passarinho eu me apaixono, ou por uma bela flor.
Adoro-o Oliver.
Beijo
MAnuela

TCHI de Tchivinguiro disse...

Curiosa e humorística dissertação sobre a paixão.

Apreciei.

Crisfonseca disse...

Olá Oliver,
Belissimo texto, adorei-o, me apaixonei por ele.
Paixão, amor, o que seria da vida sem a paixão , sem o amor? Nada.
Meu coração, minha alma é movida pelo amor e a paixão, paixão pelo desenho, paixão pela leitura , paixão pela minha filha , paixão por aquele que me faz sorrir.
Até mesmo nas situações de difilculdades é melhor passar com a paixão e o amor, pois terei que passar do mesmo jeito, com amor é mais fácil.
Adorei o texto. Lindo.
Beijos,
Cris

Rosamaria disse...

Oliver, estás mesmo apaixonado ou foi só desculpa para escreveres este lindo post?
Eu já não rôo as unhas, mas sei muito bem do que falas.

Ri muito do Teiquirisi e adoro tuas visitas, principalment quando me lembras de alguma música.
Bjim.

Lampejos disse...

Oliver,

A paixão é voraz arrebatadora é o que corta faz arder à alma.
Ou como as ondas do mar, que podem nos afogar ou nos levar a uma linda praia de delírios.

Mas é também...
o que mantêm acessa a chama da poesia.

Apaixone-se “coma as unhas”, mas saboreie sempre... essa essência do amor!....


(a)braços,flores.girassóis :)

Rodrigues Bomfim disse...

Bom dia Irmão,
Ando meio sumido devido os compromissos da faculdade, do trabalho...entre outras preocupações.
Belo texto como sempre..O ruim do se apaixonar é não ser correspondido ou então focar demais nessa idéia..Bem, ultimamente ando a roer unhas por causa das minhas preocupações imediatas.

Abração e ótima semana.

Andreia do Flautim disse...

Um abraço!

Lu disse...

Olá!
Ótimo post!
Seguinte:Tal da paixão não desejo nem para meu inimigo. Se bem que não tenho. Paixão nos tira do eixo, faz cometer besteiras e tira o sono e para mim basta para não desejar estar apaixonada por todas as vidas que ainda posso ter.
Agora amar, é bom por demais da conta. São sentimentos distintos sim. Paixão pelos estudiosos dos sentimentos e coisa e tal, já aponta o tempo de duração e o efeito do tal vírus. Então dorme-se apaixonado e acorda-se curado. Claro que o outro não entende e diz: Mas você falou ontem me amar, o que mudou? Ora pois! Triste sina dos apaixonados.

Mas que tem serventia para inspiração, não devemos negar,tem sim!
Beijo!

pin gente disse...

olá oliver!
adorei-(te)

tenho as unhas longas, não arranco cabelos, o sono talvez o perca porque perder é o meu forte.
queres dizer que eu não vivo apaixonada?
por favor não digas uma coisa dessas!!! se ele sabe, mata-me!


um beijo, oliver
gostei de aqui voltar
luísa

Sunshine disse...

Oliver !! Oliver!!

No seu melhor estilo, adorei o post, que mais poderei dizer que já não te tenham dito.

Retorno em grande e com o sentido critico e espirituoso que desde sempre o caracteriza. Impecável!!!

Tenho andado um pouco ocupada, mas não deixo nunca de o ler, é um "must".

PS: Obrigado pelo coment apesar de achar que exagera nos elogios.

[secret: Tb estou... mas não vou roer as unhas ;))]

Bjs and let the sunshine (já tinha saudades dessa expressão)

Nogs disse...

Ah AH!

Que bom ler-te!

E mesmo depois desta dissertação bombástica que mistura cabelos com unhas e poemas com amor ou Odisseias, continuo a ser uma etern apaixonada e a rir tanto ou mais que um bébé (também é verdade que às vezes choro igualmente tanto como eles:P).

BEijo

SAM disse...

Olá Oliver!

Meu amigo amei o poema de Ranier Maria Rilke. Agora confesso nunca ter roído as unhas, arrancado cabelos ou perdido o sono. Mas é claro que já senti pernas trêmulas, olhos brilhantes, coração descopassado , um certo autismo e até sorria mais! Muito mais! É bom....Muito bom. Só não é quando voce desperta uma paixão desenfreada e devastadora...Péssimo para quem não quer...E ninguem esta livre deste transtorno ou desta dádiva ( para quem quer). Nem mesmo quando estamos na idade do amor ( falo dos meus não tão altos 52 anos rsrs). Mas estou divagando muito.... Realmente a poesia desperta mesmo este encantamento , houve o alge, depois virou breguice e retorna com força total ( e na verdade qual mulher não gosta de uma poesia, flores ou mesmo uma serestinha, heim? Coisas do amor são atemporais). Flores, mar e lua estão presentes na maioria dos poemas. Particulamente prefiro o eterno enquanto dure literalmente e digo isso pela praticidade na hora de uma separação. Na maioria , o que ficam ´são as eternas brigas.


"As palavras são manipuladas de várias formas: versos com métrica irregular, rimas falsas e até o uso de palavras aparentemente escritas de maneira errada."

Verdade e gostei deste encaixe!

E viva os Poetas!

Grande beijo. Vou no NA ver sua postagem...

SAM disse...

çok güzel site....Mustafa está em todas! Rsrs

Carla disse...

porque estar apaixonada...é muito mais do que arrancar unhas ou puxar cabelos...e por tudo isso vale bem a pena estar apaixonada
beijos

Olhos de mel disse...

Oie lindo! Belo post! Aliás nenhuma novidade nisso, por aqui. Mas eu diria que a paixão é inerente ao ser humano. O que nos difere é a maneira que lidamos com ela. Uns se afetam mais e foge ao domínio da razão, (como bem disse), (classe em que me coloco). outros não se envolvem tanto, que parecem viver com os pés bem fincados ao chão. Mas eu acredito que os poetas, vivenciam, mais tudo isso, porque estão sempre no limite de suas emoções. Tudo numa alma poética, parece ter um efeito bem maior, que normalmente teria. Se é pra chorar, ele se acaba em lágrimas e se for sorrir, sorri em demasia...
Bom fim de semana! Beijos

Mariazita disse...

Oie, Oliver
Voltei!
Retomei as actividades publicando no SEMPRE JOVENS
o post «Regresso de Férias» na terça-feira (lá é nesse dia da semana) e hoje publiquei na minha "Casa" (é à quinta-feira e domingo).

Li, há pouco tempo, um texto muito bom, cujo título é "Apaixone-se!".
Logicamente incentiva à paixão:
Apaixone-se pela vida, pelo sol, pelas flores, pelo cão do vizinho, se mais não tiver a jeito...
Apesar de todos os inconvenientes que daí possam advir - unhas roídas é uma coisa bem feia! - estar apaixanado é maravilhoso!!!
Por isso, meu querido amigo,
Apaixone-se!
Beijinhos
Mariazita

Noslen ed azuos disse...

Cara amigo Oliver, como fênix renasço, não das cinzas e sim da viagem que fiz por parte do nordeste ( acabei de fazer um post com poesia e retratos rsrsrs., e você é figura convidadíssima à passar lá) ,Maranhão, Piauí e Ceará; voltei meio passado de tanta informação e é por este motivo que estive ausente.
Voltei e já estou novamente fã de seus escritos, sabe agente vai lendo e pensando: é longo, vai lendo...e nunca acaba, vai lendo...e acaba...Pô, já acabou! é muito bom; agora só falta arrumar um tempo para repor o não lido.
Paixão...já fiz muita doideira por elas, não vale a pena nem começas a falar,ops, digo escrever.

Abração,.

ns

gabriela rocha martins disse...

nova mudança de visual e com muito bom gosto



.
um beijo ,O

lua prateada disse...

Paixão o tema Oliver!...é mesmo lindo mas estou já tã "farta" dela que hoje já a quero mas o medo não me deixa mais senti-la.Admiro-te por teres a paciencia de escreveres estes textos todos migo e alguns até bastante ilucidativos.
Beijinho prateado com carinho e o desejo de um lindo fim de semana.

SOL

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido Oliver, a paixão!!!
Pessoalmente não gosto, agora que sei o quanto faz sofrer, muito menos, estive apaixonada duas vezes, deu sempre um relacionamento longo, mas tentei e consegui transformar essa paixão em amor, o verbo amar, gostar, querer do coração, a amizade verdadeira, são muito importantes para mim... Eu gosto de gostar!!!

Quando escrevo, quase sempre me bazei-o em factos reais, visto a pela da personagem, como se tivesse a representar uma peça de teatro... Quase sempre estou apaixonada pelas minhas personagens... Por isso querido Amigo, o teu texto é dos mais bonitos e humanos que eu tenho lido aqui... Também, é apanágio deste blogue a qualidade da tua escrita e da tua mente criativa... Votos de um bom fim de semana e muitos beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo, devido a problemas com o computador, só postei a crítica a um filme que todos já viram, mas que merece ser visto 555 vezes, e poesias. Conto com vc.
Um beijo,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

BlueVelvet disse...

Xii, deu zebra!
O meu blogroll não acusa os posts no seu blog...
Cheguei com uma semana de atraso:(
Me desculpe, mas não tenho culpa.
E logo para um post maravilhoso como este.
Não sei se não será o seu melhor, ou sou eu que gosto deste tipo, romântica incurável que sou.
Roer as unhas não. Mas fico com as pernas bambas, e um friozinho no estômago...e meio boba. Isso fico.
Só você para no meio de um texto destes fazer a diferença entre causa e culpa...
São espantosas as voltas e reviravoltas que dá quer na Fábula da raposa quer no poema de Rilke. A forma como brinca transmutando a mesma situação vista por um poeta e por um ser humano normal.
Porque os poetas estão muito acima de nós. Vêm aquilo que só alguns de nós conseguem. Vêm com os olhos do coração.Vêm como você vê. Você que escreve em prosa aquilo que se sente em poesia.
Você é um escritor de excelência.

Jofre de Lima Monteiro Alves disse...

Anatole France dizia algures que o apelo da paixão é mais forte que o apelo da inteligência, o que significa que nada na vida se faz sem paixões! Aliás vir aqui, a esta página, é um sincero acto de paixão, mas também de discernimento, devido a este belíssimo texto. Boa semana com tudo de bom.

Carol Barcellos disse...

Sobre o post acima, o mais recente, amei a sua observação qto à interpretação, hahahaha!!! Bem, eu gostei, e achei que vc deu um toque bem barroco à música. Quando estiver de bobeira, experimente, só de brincadeira, fazer tudo igualzinho, pensando com um coração mais seresteiro. Tenho certeza que estes dedos longos arrancarão belezas de sons dessas cordas. Pense num andamente mais lento, mesmo que não seja óbvio, mas não é mesmo para ser. É claro que interpretação não permite abusos, mas criatividade (que lhe sobra) e a liberdade de registrar seu toque pessoal, não importando a opinião alheia de quem não sabe nem desenhar um layout, hahahaha!!!
Isto não é uma crítica, tá? É apenas uma sugestão...

Beijocas doces cristalizadas!!! :o*

P.S. Deixei um presente pra vc lá na Rosa! ;o>

isabel victor disse...

Apaixonante ...

iv*

Rosamaria disse...

Não tem onde comentar no post lá em cima, Mr. Pickwick, mas digo aqui que amei tua interpretação. Estudei piano e irresponsàvelmente parei quando casei. Tentei voltar há dois anos atrás, mas não tive mais paciência. Acho que é a idade, mas a música me acompanha em tudo, é como o ar que respiro.

Gostaria de ouvir outras interpretações, vou sempre lá no Myspace te escutar.
Bjim.

Manuela disse...

Gostei de ver que fez um video com a sua música.
Parabéns.
Gosto dessa música tocada por um espanhol que não me lembro do nome.
Aliás o compositor era espanhol só que desconhecido.
Mas já ouve vários arranjos de outros compositores.
Mas você também toca muito bem, tomara eu tocar assim.
Quem sou eu para dizer alguma coisa.:)
Boa Semana
MAnuela

Lu disse...

Caro amigo Oliver, sua interpretação está ótima!
( mas não conto que já tinha ouvido, nem que a vaca tussa!)
Beijo!

~pi disse...

ai olivier...

es s sa ser

pen~tean~te-

-rilkiana

bailarina espanhola!! :)

todos temos um rilke no olhar

[ às vezes...

mesmo que.




beijo





~

Clarissa Barth disse...

Puxa, eu não sabia que tocavas, e que esta interpretação era tua... vejo que não fui a única por aqui a "já ter ouvido antes" esta versão, hum... Eu gostei! Achei interessante saber desta tua "faceta"! Eu também toco piano, desde pequena, lá no meu Orkut tem até fotos e fotos disto. Boa semana! Beijos!

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!


Obrigada pelo carinho de sempre...mesmo em férias senti-me muito abraçada pelo Mr. Pickwick!


E já vi que houve mudanças por aqui... e adorei!


beijinhosssssssssss

Carla disse...

passei para desejar uma boa semana e dizer que gostei imenso do teu som
beijos

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Oliver:
Estive a ponto de fechar meu Blog por esses dias, devido às línguas maledicentes, mas não vou fechá-lo porque os amigos me apoiaram, e quantos amigos, e, de quebra, fiz um novo post, comentando um excelente filme.
Apareça:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
Um abraço,
Renata

Maria Dias disse...

...Nossa!Q maravilha de violão!Além de um texto brilhante...Oliver vc é mesmo muito talentoso viu?Parabéns!

P.s.Quando lançará o livro mesmo?

Crika

Gabriele Fidalgo disse...

Uau, preciso comentar.
Ouvi você tocando aqui e suas composições no Myspace. Gostei muito da junção que você fez lá com jazz e frevo. Realmente gostei!


Beijos.
Apareça!

Paula Crespo disse...

Mais uma vez, ler um post seu foi um prazer. E, parafraseando-o, a si e ao próprio Vinicius, desejo-lhe "que seja infinito enquanto dure"...
Bjs

* hemisfério norte disse...

adorei a musica.
adoro jazz
:)
obrigada
bjs
a.

Filoxera disse...

Melhor que Rilke é a frase com que termina o seu post, classificando os poetas como encantadores de sentimentos.
Beijos.

isabel mendes ferreira disse...

e este abraço é dedicado a quem faz da música a musica das palavras e destas um concerto audível.


___________________socorro estou "fascinada" com a composição....mas já tinha tido o prazer de o ouvir....:)

claro que nunca é demais.


beijo.S.

Olhos de Mel disse...

Lindo conterrâneo! Passei para reler e assisti o vídeo. Adorei! É você tocando? Venho de uma familia de musicos e começar por meu avô que tocava 5 instrumentos e foi maestro da orquestra sinfônica da Bahia. Meu pai é compositor e toca 3 instrumentos, meus irmãos tocam instrumentos variados... eu toco muito bem, CD. Mas adorei, viu?
Bom fim de semana! Beijos

Marianinha disse...

Vim desejar boa noite com um beijo muito bem dado.

SAM disse...

Nossa amigo, de verdade...Não uso chapéu, mas peguei o do "cearenso" pra tirar prá você! Voce, escreve maravilhosamente e toca pra caramba... E eu adoro música e dançar.
Já cliquei no bar...e volto depois...Huauuuuuu adoro frevo!

Minha filhota caçula também é fera...Eu acho, né? Compõe muito bem também! Rsrs ( Comecei a babar por seu talento e acabo babando falando na minha Maki). Volto depois pra não haver uma inundação no teu blog.

Beijos e até!

Anne disse...

Passando só pra comentar que acho vc ótimo com as palavras, mas com relação a música me faltam as palavras. Algumas pessoas tem realmente o dom. Lindo, lindo, lindo, adoro violão, ainda mais quando tocado com tanta maestria.

Beijos pra vc

Leonor disse...

é fogo que arde sem se ver,,, numa injustiça competição com palavras de poetas que tão melhor que nós descrevem afinal aquilo que a humanidade vem sentido...

eu então, que mais calo do que falo...

mas não há nada do que cair na real eheheh...
eu gostei dá interpretação, também já tinha passado pelo seu lado do jazz (só podia)

impulsos disse...

Paixão... essa coisa que nos move por caminhos que ultrapassam as barreiras da razão!

Quanto aos acordes musicais, só tenho a dizer que são fantásticos!!

Beijo

Kênia Garcia disse...

Olá!
Preciso dizer que está lindo o visual por aqui..
Há tempos que ando desaparecida..

Saudades

Maria Laura disse...

Olá Oliver, estive a ouvir a sua música e vim ler o texto. Com que então os poetas é que têm a culpa? :)) A mim parece-me mais que a necessidade de se apaixonar está na natureza humana... poética ou não poética. Bom voltar aqui, Oliver!

Teté disse...

Gostei das tuas interpretações musicais, adorei a ideia de publicares os teus contos em livro (mais que merecido), lá do Nova Águia nem por isso - um dos links nem consegui ver/ler. Vais deixar de postar aqui para o fazer lá? Enfim, desejo-te boa sorte, de qualquer das formas!

Quanto a este post propriamente dito, suponho que paixões arrebatadoras é uma coisa, amor é outra. E duvido que os culpados sejam os poetas, que assim como assim sempre se basearam em sentimentos reais, se bem que empolados por um palavreado mais floreado ou directo, conforme as circunstâncias aprouvessem. Não sou habitual consumidora de poesia, nem por isso deixei de me apaixonar ou de amar...

Beijoca e fica bem! :)))

Maria Dias disse...

Oliver querido...

Olha, sei que para alguém que gosta de escrever como tú(como nós).Gostamos de criar,ler crônicas,fábulas e etc...Mas hoje vim te convidar a passar no meu Avesso e deixar seu comentário seja ele qual for.A sua presença é muito importante!

De ante mão agradeço...

Beijinhos

Maria Dias

biazinha disse...

Tu tocas bem, hein rapá!
Escutei as duas músicas. Se tu morasse mais perto eu bem que te pedia pra tu me dares umas aulas. LOL!
cliquei no Link lá da ao fim do post a fim de ler o que escreveste, mas deu erro. Será que foi um post que li na madrugada de domingo?
Beijos.

biazinha disse...

Por que fechaste a caixa de comentários?

isabel mendes ferreira disse...

socorro.....esta entrada de blog é apaixonante.....:))))



_____________beijo.S.

Cöllyßry disse...

Oi, que belas novidades por aqui, eu estou voltando, virei com mais tempo para ver tudinho,viu

Beijoca doce

Sunshine disse...

Oliver !!!

Sempre surpreendente !!!

Adorei a sua musica. (Concerto de Aranjuez se não me engano??)

Grandes novidades por aqui, perdoe pela ausência, mt trabalho e algum cansaço fazem com que esteja um bocado afastada da habitual volta "bloguista" ...

Bjs ... passe por lá, sua presença é sempre importante

Casemiro dos Plásticos disse...

Voltei caro Pickwick, e deixa-me que diga que gostei muito do post das músicas.
abraço e boa semana.

Mariazita disse...

Oie, Oliver
Como é que é??? Dás-nos música desta qualidade e não há espaço para comentar???
Pois muito bem, aqui vai: passava aqui a tarde inteira a ouvir-te tocar violão! Pena ter que ir andando...
AMEI! Vou voltar, só para ouvir...
Beijinhos
Mariazita
PS - Convido-te a veres o meu post de hoje no SEMPRE JOVENS

São disse...

Meu caro, lá em cima não pude colocar comentário.
Mas também não posso lhe dizer se gostei ou não, porque o vídeo não entrou.
Da sua música, já lhe disse há tempos atrás que me agradou muito.
Fique muito bem,

M.E.D.T disse...

ola amigo, estou de volta :)
bjs

Crisfonseca disse...

Olá Oliver,
Vim comentar tua música aqui, la em cima não tem cometários.
Simplesmente divina, assim como tua escrita.
Tua música é inspiradora. Parabéns.
Beijos,
Cris

Gata Verde disse...

Gostei imenso do som do seu violão!!

beijinhos

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Questão de altíssima indagação e sem nenhuma resposta satisfatória...rs!
Beijocas

Anne disse...

Realmente, essa eu não tinha ouvido ainda. Inédita, ao menos para os meus ouvidos. Lindíssima...sem palavras! Fiquei viajando na melodia, nas notas, ahhhhh, que linda!!!!

Redundancia minha, mas... é ótimo com as palavras e com as notas. Algumas almas são realmente iluminadas!!!

Outros beijos, ri mto com vc mencionando os jogos que eu gosto...rs. Realmente, game over nao é bem a minha praia. Prefiro as outras opções. Beijos

Anne disse...

Tive que voltar, pq li seu comentário no blog da Lu...hahahaha, rindo mto com os "mil quatis", gostou deles, heim???
E realmente, eu sou uma heroína moderna. Um poço de complicações, mas tenho cá meus super-poderes. Tenho o da paciencia elástica, o do brigadeiro de panela e o do sorriso enorme no rosto mesmo que o mundo caia sobre mim...hahahaha. Ahhh, e tenho a super-TPM tb, mas esse eu acho que é uma maldição que só mesmo o super-brigadeiro cura!!!

Hahahaha, ainda rindo, me despeço.
Beijos, querido Oliver
P.S.: ADORO a Lara Croft...rs

lua prateada disse...

Amigo...passando com o sol da manhã,a terra serena e renovada, o silêncio grandioso da jornada, te deixando...Um beijinho prateado com carinho

SOL

Filoxera disse...

Um beijo.
Até breve!

Lu disse...

Com mil quatis, essa não tinho ouvido mesmo!!!

Ó... assim, eu vi sim que combina! Com a acuracidade rara de percepção, como não iria ver???

Beijo,caro amigo Oliver!

P.S: Não é ficção! ho ho ho

Olhos de mel disse...

Oie meu lindo e sumido conterrâneo! Gostei imensamente da musica e do vídeo! Esse vídeo é do próprio bloger? Como descobri-lo para fazer montagem? rsrsrs
Fique tranquilo, volte quando puder! Mas você faz falta, viu?
Beijos

BlueVelvet disse...

Ora voltei, com um grande atraso, para dizer que adorei o My Sweet Valentine tocado por si.
É uma das minhas músicas preferidas, mas tocada por si tem outro encanto.
Quanto à 2ª como não entendo mesmo nada de como se faz um blog, ( até tenho um amigo que está refazendo o meu:))), gostei mesmo foi da interpretação.
Músico, escritor, engenheiro, conhecedor profundo da natureza feminina...E depois ainda dizem que não há homens perfeitos.
Beijinhos

Clarissa Barth disse...

Adorei o "my funny valentine"!!!! Excelente escolha de música, combina muito com o teu estilo, estou impressionada com tua mastria no violão. Eu não me importo de ouvir música por aqui de vez em quando, se tocada pelo Mr. Pickwick. Ah, obrigada pelas visitas recentes à minha cozinha, o cardápio por lá tem sido variado. Beijos!!!

Flavinha disse...

Paixão é uma coisa que curte ficar cutucando a gente. No início parece uma carícia, depois cutuca com tanta força que abre uma ferida.

Amor é tão mais brando, né?

Beijo :)

Deusa Odoyá disse...

Olá meu estimado amigo, OLIVIER.
O seu violão desliza em suas mãos de poeta.
Muito linda a sua música.
Quanto ao post adorei.
Vc. amigo, sabe brincar com os verso, e transformá-los em tapetes de flores, e nos fazer ver o quanto amar é divino.
A paixão é como um fogo que nos corrompe até as entranhas do nosso próprio infinito.
Poeta és e continuarás poeta.

Beijos amigo e mil estrelinhas em seus caminhos.
Que deus abençõe suas mãos.

Sua amiga.

Regina Coeli. Te aguardo no meu cantinho.

Rosamaria disse...

Não tenho nada a ver com equações, mas adorei My Funny Valentine ao som do teu violão.

Bjim, obrigada pela visita.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Mister Oliver:
Gostaria muito de saber a sua opinião sobre o meu mais recente post, mais leve e mais fácil de baixar. Conto com a sua presença e me sentirei honrada se for ao meu Blog.
Um abraço,
Renata Cordeiro
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

lua prateada disse...

A gentileza e o amor de uma pessoa podem mudar a vida de milhares,por isso neste fim de semana dá a todos que encontrares o amor e gentileza de que precisam.
Óptimo fim de semana...
Beijinho prateado com carinho

SOL

Andreia do Flautim disse...

Bom fim-de-semana!

M.E.D.T disse...

Otimo final de semana amigo
bjs

São disse...

Lamentavelmente, seu vídeo continua zangado comigo! não consigo entrar mesmo...
Beijinhos.

Lu disse...

Amanhã vai ter texto, ou música de novo?
Tá, só para saber...


P.S.: Esqueci de falar, tenho andado tão doce, que as abelhas andam me perseguindo. ( hahahaha)

Beijo, caro Oliver!

BANDEIRAS disse...

Paixão é boa de sentir, pena que não dura muito tempo.Dizem que a paixão emagrece e o amor engorda, taí mais um motivo para só se apaixonar.
PS: música boa...gostei.
Meu querido, mil beijos prá vc e não desapareça, por favor.

Lyra disse...

Lamentavelmente não me tem sido possível visitar este blog com tanta assiduidade quanta ele merece e que eu gostaria.
Fica, no entanto, a promessa de um regresso em breve para uma leitura pormenorizada.

Até lá ficam os desejos de tudo de bom e um excelente fim de semana.
Beijinhos e até breve.

;O)

P. S. - Nunca me esqueço de ti!

Å®t Øf £övë disse...

Pickwick,
Este teu texto fez-me lembrar uma música portuguesa que diz mais ou menos assim:

Ja não como há cinco dias
nao durmo há mais de um mês,
desde que te conheci
a minha vida é como vês.
Passo os dias a pensar
nao sei o que fazer,
eu nem quero acreditar
no que me foi acontecer.
Só queria estar sozinho
e nao pensar mais em amor,
sempre que conheço alguém
fico de mal a pior.
Li no "Metro" o teu anuncio,
de caracter pessoal
limitavas-te a dizer...

Curioso como sou
apressei-me a responder,
só para te perguntar
o que é que isso quer dizer.
Guardei o jornal no bolso
para te falar depois,
mas decorei o teu numero
937812.
Liguei-te às seis da tarde,
devias estar a acordar,
essa voz rouca e quente
num suave murmurar.
Fiquei quase sem fala,
estive mesmo a desligar
do outro lado dizias...

Socorro!! Estou a apaixonar-me
É impossivel resistir a tanto charme.

Foste-me buscar de carro
levaste-me à beira-mar,
nas tuas mãos a 4L
mais parece um Jaguar!
Sentados na esplanada
a tomar um cimbalino,
foi então que percebi
essa coisa do destino.
Nesse dia aconteceu
nunca mais vou esquecer
- o mar, o sol, o céu, a praia -
todo um mundo de prazer,
acendes um cigarro
afagas-me o cabelo,
disseste entao assim...

Não percebo o que é que queres,
nem o que estas a dizer,
só sei que tu consegues
mostrar o que é ser mulher,
quando nós nos separamos
não nos vimos por um mês,
trinta dias a pensar
em te ter mais uma vez.
Depois vi-te na Industria
a dancar ao som do Prince
senti-me devorado
pelo teu olhar de lince.
Com ar discreto e decidido
chegaste-te ao pé de mim,
sussurraste-me ao ouvido...

Encontrei-te então na baixa
(sem nada que o justifique)
ali ficamos toda a tarde
nos sofas do Magestic,
Falaste-me do mundo
d'outras terras e lugares,
mostraste-me perfumes
de oceanos e mares.
Ali sentado viajei,
ali p'ra sempre quis ficar,

contigo perto dos olhos
os labios quase a beijar.
Falaste da cidade,
casas, ruas e pessoas
e disseste sem vaidade...

Tenho ouvido muita coisa
mas nunca tão bela assim,
seduzir e encantar,
são coisas novas p'ra mim.
O que eu gosto mais contigo
(se queres saber o que eu acho)
é que consigo ser homem,
sem dar uma de macho.
Já não como há cinco dias,
não durmo há mais de um mês,
desde que te conheci
a minha vida é como vês.
Passo os dias a pensar
já não sei o que fazer
eu nem quero acreditar
no que me foi acontecer.


Pedro Abrunhosa


Abraço.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Oliver
Adorei a tua interpretação musical.
Quanto à paixão é um estado de demência e de desvario necessário ao ser humano para que se encontre a si próprio e a razão da sua existência.
Dói, faz mal mas é mesmo assim. Sem essa dose de loucura, efémera como todos os estados plenos, a vida seria bem sensaborona.
Abraço

Palavras Soltas disse...

ola boa tarde
comentario magnifico a quem
sabe exprimir o amor..
amar doi faz sofrer
mas cmo diz o poeta
quem nunca sofreu nunca amou...
beijinho =)

Palavras Soltas disse...

ola boa tarde
comentario magnifico a quem
sabe exprimir o amor..
amar doi faz sofrer
mas cmo diz o poeta
quem nunca sofreu nunca amou...
beijinho =)

Ju disse...

há, bom demais! a paixão e teu texto!!! incrível como tuas palavrras tecem a razão com a emoção!
beijos!!
: )

Å®t Øf £övë disse...

.....oooO.............
....(....)....Oooo....
.....)../. ...(....)..
.....(_/.......)../...
.............. (_/....
... Vou passando .....
......................
......................

ANA DINIZ disse...

Oi, Oliver!

Vi o seu comentário no blogue da amiga Gerlane Melo.

Posso te dizer uma coisa? Senti uma afinidade muito forte aqui em relação à minha alma que, como a sua, é atemporal, não se prende ao mundo presente, tão pequeno e mortal.

Adorei o seu violão, vc toca muito bem, parece ser disciplinado. Tbm toco violão desde menina, componho, mas sou rebelde, não fui pra banda clássica e me perdi no popular, na bossa nova que vc adora, e nas maluquices globalizadas, sem distorção, mas com muita melodia e apreço à boa música.

Amo Clássico e Barroco. Cravo, alaúde, piano e instrumentos de corda em geral... Se eu pudesse voltar atrás teria estudado e me esforçado como gente grande. E olha q tive oportunidade. Sou malandra... Fui relapsa Mas, de repente, como quase tudo no mundo, tenho conserto, acredito.

Espero-te no meu blogue.

Adorei estar aqui. Adorarei te receber.


Bjos,

Ana.

XLS disse...

Do outro lado do oceadn, medindo apena a distância com assentos e letras perdidas no meio das mesmas palavras, apetece-me deixar a minha marca nesta bela análise do estado de enamoramento...

Tal como qualquer outro sim, tem um reverso de instabilidade que nos faz ora flutuar ora submergir na mais profunda das angústias...

Motor em mim da escrita outrora embebida de poemas, hoje acalma apenas porque o coração não está em chamas...e que lástima que assim seja, porque a vida é sempre mais intensa qaundo se ama...

De qualquer modo, para os essencialmente versejadores, até em nós inventamos intenções de sentimentos para não parar a forma de expressão...porque afinal, o amor, na mente dos poetas, não passa de um pretexto para versos :)

Excelente blog, o seu.

Um sorriso,

S.

Não tente me entender... disse...

Adoro o que você escreve!!!

Bjs

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Hi, Mr Pickwick,

Rapaz, passar por aqui é aposta certa e ganha de boa leitura.

Vou lendo um texto por visita e assim, já, já acabo por ler todos.

Parabéns, Guilherme!

E sobre os blues?

Um abraço!!!

Danitza disse...

Um poeta trouxe-me amor, agora, pois,falta-me a paixão.Amanhã já estarei.
É bom quando fazemos paradas por lugares encantados.
Parabéns!
Abraços!

Ps: sem a devida licença, já linkei.