Das incongruências conciliáveis

Às vezes, nesse cotidiano quase no piloto-automático da vida moderna eu me deparo com certas incongruências as quais, por pouco, não as percebo como se fossem realidades naturalmente conciliáveis.
Comecemos com um fato que constitui-se em um verdadeiro fenômeno mundial, os famigerados livros de auto-ajuda, os quais, ganharam até uma lista exclusiva nas seções dos livros mais vendidos, de muitos orgãos da mídia impressa, antes limitadas apenas a classificação pelos gêneros ficção e não-ficção. Ficção, como vocês sabem, são aqueles livros escritos pelas pessoas que por anos a fio contaram histórias para os filhos na hora de dormir - quando estes ainda eram pequenos, e, desse modo, foram desenvolvendo uma incrível capacidade na arte de inventar. Infelizmente, alguns degeneraram para o território das mentiras colossais, como os políticos, por exemplo. Por outro lado, não-ficção, geralmente, são escritos por aqueles que preferiam comprar livros de histórias para a criançada, em vez de contá-las, vez que andavam sempre ocupados escrevendo relatórios importantes, assistindo futebol na TV, ou vendo novelas.

Quanto ao gênero auto-ajuda,
a incongruência já começa com a própria denominação. Se você conferir no dicionário, vai ler: "método de aprimoramento pessoal em que o indivíduo pretende buscar, sem ajuda de outrem... etc, etc..." E, se é que alguém realmente tirou algum proveito de um livro desses, o ensinamento foi passado pelo autor do livro, logo, o termo auto-ajuda é uma das tais incongruências. Por outro lado, em relação ao autor, o termo cai como uma luva, pois, via de regra, esses livros são vendidos aos milhares e, em consequência, engordando sobremodo a conta bancária do felizardo espertalhão, ops... quero dizer, autor.
De início, o foco dessas publicações era tornar o leitor um especialista em ganhar rios de dinheiro; influenciar pessoas; além de fazer muito sucesso. Entretanto, com a concorrência acirrada das múltiplas igrejas evangélicas neopentecostais, que também ensinam tudo isso, e de lambujem ainda garantem o reino dos céus, os editores desses livros volveram sua artilharia na direção de outros alvos, sendo que nos últimos anos o principal deles tem sido a mulher.

Outro dia mesmo, uma amiga estava lendo Mulheres Certas que Amam Homens Errados, de uma tal de Kristina Grish, e comentou comigo que aquele livro "era a sua cara", parecia até que a autora o escrevera "exclusivamente para ela"; e disse-me ainda que, não via a hora de terminá-lo, pois uma certa Rose, prima do seu cunhado - supostamente outra eterna vítima dos homens, prometera emprestar-lhe Mulheres Inteligentes, Escolhas Insensatas, de Connell Cowan & Melvin Kinder, curiosamente, fazendo alegação semelhante à desta minha amiga: "este livro, minha filha, é a minha vida, foi escrito somente para mim". Após despedir-me da minha amiga, voltei a consciência sobre mim mesmo, para examinar melhor, por meio do entendimento da razão, essas dificuldades de relacionamento afetivos que muitas mulheres enfrentam na vida a dois. Ora, pensei, se uma mulher inteligente sabe que o cara coça as partes íntimas em público; aos domingos, ele prefere tomar muita cerveja, rodeado de amigos e
soltando gritos comparáveis ao de duzentos godzillas enquanto assistem futebol na TV; aniversário após aniversário, o presente é invariavelmente um eletrodoméstico; num evento social, ele sempre o apresenta aos amigos com a expressão "essa aqui, é a patroa"; ou, utilizando-se de uma variável, digamos, mais doce "essa aqui, é a minha rainha do lar". Em casos assim, acredito, não há livros nesta terra, debaixo do céu, que possam ajudar esta mulher na total conversão desse homem num príncipe encantado. O velho e tradicional método de beijar sapo continua ainda sendo mais confiável.

Ah, eu nem conto a vocês do susto que passei numa visita recente à casa da minha tia Marizete, onde, por vezes, é servido um delicioso bolo de chocolate, famoso na vizinhança. Enquanto esperava o precioso manjar, corri as vistas na sala, defrontando-me com um livro cujo título causou-me certo impacto: Manual de Sobrevivência da Mulher de Meia-idade, de autoria de Léa Maria Aarão Reis. Sendo minha tia uma viúva que mora sozinha, confesso, fiquei preocupado. Em razão da sua faixa etária, estará minha querida tia exposta a algum tipo de perigo mortal? Raios duplos, conversei comigo mesmo, por acaso alguma seita de lunáticos resolveu inesperadamente sair por aí eliminando a torto e a direito, mulheres de meia-idade? Ou, um robô vindo de um futuro próximo - como aquele interpretado por Arnold Schwarzenegger, em O Exterminador do Futuro (Terminator), estava à caça dessas mulheres de meia-idade, pronto para dizer-lhes, cara a cara, hasta la vista, baby? A minha primeira sensação foi a de que o título do famigerado livro, sugeria um treinamento militar digno de um integrante do Mosad.
De outra feita, no interior de uma livraria, enquanto procurava algo interessante para ler, mirei num livro com um título inusitado: Homens São de Marte, Mulheres São de Vênus, de John Gray. Como é que é mesmo? Refleti, largando súbito o Neruda que segurava, e procurei de imediato por um espelho. Não que eu seja um cara vaidoso com a minha aparência, mas, por outro lado, também não quero ser parecido com um daqueles homenzinhos verdes, raquíticos, e com uma cabeça gigantesca. Não senhor! De frente para o espelho, me senti aliviado, ainda que não estivesse refletido ali nenhum George Clooney, todavia, era o meu velho rosto de sempre. Deixando a livraria, ainda vi num relance, exposto na vitrine, Sorria, Você Está na Menopausa!, de Maria Helena Bastos.

Não faz muito tempo, um livro de tática e estratégia militar escrito há aproximados 2.500 anos, A Arte da Guerra, de Sun Tzu, foi considerado como o manual
perfeito e indispensável de estratégia empresarial para executivos de grandes corporações galgarem de modo célere os postos mais altos nas suas respectivas empresas. Reproduzo aqui um pequeno trecho: "existem cinco classes de ataques mediante o fogo: queimar as pessoas, queimar os mantimentos, queimar o equipamente, queimar os depósitos...". Transpondo este conhecimento para a estratégia empresarial, seria algo como se o padeiro-chefe da padaria do Sr. Joaquim, desejando ardentemente ser promovido a gerente, fizesse uma misteriosa ligação telefônica nas altas horas, ordenando: "Alô, comando de campo, deflagrar agora a operação assar o pão! E não falhem, pois o fracasso não será tolerado. Cambio e desligo!" Onde, assar o pão, além de não despertar a menor suspeita, por razões óbvias, é, também, o nome cifrado de uma ação secreta destinada a botar fogo na padaria do concorrente, o Sr. Paco, localizada do outro lado da rua. Aqui entre nós, alguém aí acredita realmente que algum executivo alcançará o posto de presidente de uma multinacional adotando práticas de tal natureza?

76 comentários:

manuela disse...

Ahahahahahahahaah!!!!!
Que risada.
Olha fui a primeira hoje...que giro.
Amigo Oliver fiquei de rastos...adorei este texto.
A primeira parte lembrei-me daquele livro que agora anda para aí que é "O Segredo".
E que o escritor anda a ganhar milhões.
E a parte final do texto fez-me lembrar aquela série de televisão Inglesa, não sei se deu aí no Brasil, "ALÔ ALÔ".
Desejo-lhe um bom fim de semana.
Abraço Manuela

herético disse...

como a Liberdade não tem fronteira, foi nomeado pelo Heretico como "escritor de Liberdade"...

passe lá por casa...

fez muito bem em ter largado o Neruda. não há nada que se compare a ter (nas mãos, claro!) uma "mulher de Vénus".

abraços

Drica disse...

ainda hoje falei sobre isto no trabalho e fui alvo d alguns olhares não satisfeitos com a minha frase: "Livros de auto ajuda só ajudam quem os escreve!"sobre o livro O Segredo, e agora passo aqui e leio teu post....ahahah...concordo plenamente com o q escreveste! um tempo atras uma colega me emprestou este livro"Homens São de Marte, Mulheres São de Vênus", não consegui ler nem cinco páginas, achei uma besteira só! não faz sentido, as pessoas ficam buscando ajuda em livros deste tipo qd na verdade teriam q olhar a sua vida, ver o q deve ser mudado e MUDAR!
ah, não só A arte da Guerra é utilizada como manual d estratégia.... o grande Maquiavel em O Principe traz este perfil!
ao menos estes dois são mto bem escritos (tenho os dois, hehehe) e não um amontoado d asneiras desconexas, hehehhe...parabens pelo post! Bjao! :)

Sunshine disse...

Valeu a pena esperar e vir espreitar e reler seus post´s... a cada sexta-feira me surpreendo com mais um nada. Um elaboradissimo nada, que demonstra a cultura ecléctica que tem Mr. Pickwick!!

Não admira pois que "Everybody loves you ...", seus post´s fazem pensar e sorrir (mesmo rir), a elaborada análise dos livros de auto-ajuda é a perfeita descrição do que eles são... um enorme NADA que apenas aproveitam ao espertalhão ... ups... ao Autor...
E contráriamente ao comentário anterior, não largaria o Neruda apesar de correr para o espelho para constatar que realmente não é um homenzinho verde e raquítico mas o belo exemplar da espécie humana que sua foto mostra ser ...
Mais uma vez seus familiares são, através da deliciosa descrição que deles faz, os tios e tias que todos gostamos ... enfim não sei que mais dizer .... apenas isto... virei reler, e triler até ter absorvido por completo mais este NADA ...
Obrigado pelas suas gentis palavras no meu espacinho ... and let de sunshine in the Condando de Deux Chevaux (dois cavalos ???)

Hasta la vista baby ... ehehehe

efeneto disse...

Ontem, ao fim da tarde
O amor é uma ave irrequieta
que tenho na garganta.
É voo de cegonhas
ou de milhafres.
Asas secretas e breves
Umas nítidas e sem tempo outras não.
Assim sobrevoo os flancos da madrugada
me dispo dentro das palavras
plano num campo de estevas
e abraço o cheiro da maresia.
Como ontem,
deixo aqui uma cascata de palavras
para lhe desejar um bom fim-de-semana.

Abraço...e mais "nada"...

(já volto para o ler...)

O Sibarita disse...

Ai, ai meu Deus! kkkkkkkkkk

Meu camarada você fala e tem razão sobre os famigerados livros de auto-ajuda, mas, seu texto é um mini livro de auto-ajuda! kkkkkk

Sabe por que? kkkk O seu texto é uma mini auto-ajuda para libertar os aficcionados destes psêudos livros. Só que gratuito ou será que ocultamente você está com algum patrocínio? kkkkkkkk Revele, abra o jogo ai, vá! kkkkkkkkkkkkkk

Oliver boa alerta o seu texto como um todo!

Aliás, alguém, aqui me cutuca! O que é minha Rastafari? kkkkkk

-Ah, não digo não, digo nada! kkk Diga você mesma!

-Oi seu, como é o nome dele mesmo Siba? rsrsrs
-Oxente Negona? kkkkk Tá vendo meu Camarada? kkk Quem manda você ter o nome dificil? Negona o nome é Oliver Pickwick.
-Seu Oliver, oliver o que? Ai Jesus que ome de nome diferente!
-kkkk Pô! kkk Negona é Pickwick. (Se rete não Oliver, a Negona é gaga, ei também não precisa você ri da minha Negona só porque ela tem a língua presa, ou seja, gaga, né meu véio? Nem vou rí para não lhe dá ousadia, agora, que eu estou com uma vontade retada de dá uma gargalhado tô, viu fio?)
-Seu Oliver Pi... Pi... oi seu Oliver não sei o que, o que o Senhor tem contra os livros de auto-ajuda? Não concordo com nada ai, eu mesmo para onde vou levo um livro de auto-ajuda, tenho uns 40 quer um emprestado? Quem sabe não mude de idéia? rsrsrs
-Alivia Negona que o Oliver é pedra noventa! kkk
-Tá e eu com isso? Para mim ele lê muito desses livros de auto-ajuda e agora fica tirando onda para dizer que é o tal, prá cima mim moê? Como esse alface não! Voce Siba que é otário que coma, mas, eu, euzinha como não! rsrsrsrs
-Calma Negona, tome um copinha aqui, o Oliver Pickwick é um cara safo e não vai cair nessa de livro de auto-ajuda que na realidade só faz mesmo encher os bolsos dos vivaldinos que escrevem.
-Siba, diga-me, por que ele fala com tanta propriedade dos livros e coloca que as amigas dele sempre comenta sobre isso? Prá mim é gaiva, ele lê sim e agora tá com sentimento de culpa! Qualé seu Oliver de não sei o que, abra o olho que você não é japonês, disfarce e confirme lê ou não lê? rsrsrs
-kkkkkkkkkkk Que mulher é essa? Oliver você tá lenhada com a Negona, viu fio? kkkkk
-Como mulher eu tenho intuição, pode anotar, acho que ele quer ser pastor se já não é! Quer que o pessoal que frequenta a tal igreja dele deixe comprar os livros para sobrar mais para o dízimo, vá ver o carrão, a casona que êle tem... rsrs
-Xiiiiiiiiiiiiiii kkkkkkkkkkkkkkkk Negona diga VARELA!
-VALELA! VALELA!
-Ai Senhor do Bonfim, tem jeito não...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Fuiiiii!

abraços,
O Sibarita

O Sibarita disse...

Oliver, o comentário que você menciona não ter saído, realmente, por lá não passou. Não vi nada! Vai ver que foi um comentário fantasma com auto-ajuda do invisível. kkkk

Meu camarada, as vêzes acontece mesmo de fazermos um comentário, enviar e sem se saber porque não sai, some... kk Faz parte da vida bloguiana, agora, para se saber o que relamente ocorre só você procunrando um livro de auto-ajuda, vai ver que foi praga da Negona Rastafari. kkkkkkkkkkkkkk

abraços
O Sibarita

Rosamaria disse...

Meu querido Mr. Pickwick

Adorei teu texto, mas acho que, se tiveres que ler esse tipo de livro sempre, sim, poderia ser uma incongruência.
Uma cunhada me deu um deles e salvou meu casamento abrindo meus olhos para o mundo. Eu não sabia o que acontecia na realidade, com ele aprendi e me dei conta de quem eu era e o que eu queria na vida.

Mas tu tens razão! Agora tem uma enxurrada desses livros. O que eu li é classificado como PSICOLOGIA E PSICANáLISE, e naquela época esses de auto-ajuda nem existiam.
Aqui na minha cidade tem um padre que é famoso e rico pelos livros que escreve. tem gente fanática!

Bjs e bom fim de semana.

efeneto disse...

De novo aqui e só para lhe dizer que não trago NADA de novo. Nem nenhum livro desses que para mim falam disso mesmo...NADA...A nossa auto/ajuda reside dentro de nós. Passei uma fase complicada da minha vida e o único "livro" que li foi o espelho da minha casa de banho onde me ia "ler", e perguntar se havia alguém mais forte que eu para me livrar do problema. A resposta era sempre a mesma...NADA é mais forte do que tu. E depois de fechar o meu livro (espelho) ficava convencido que realmente NADA é mais forte que nós. Apenas nós.
Abraço de agradecimento pela sua visita...realmente não se enganou, as datas dos poemas são reais, idade da "puberdade", onde começam a nascer os pêlos em tudo quanto é sítio e as palavras dentro de nós.
Já agora dê um beijo á sua tia Marizete pois eu sou chocodepennte...chocolate para mim é melhor que mulher pelada (risos)...
Mais um abraço e até qualquer dia, voltarei aqui quando não tiver NADA que fazer nem NADA para ler...

Rafeiro Perfumado disse...

É um bocado como aqueles livros para enriquecer. Aposto que o último capítulo diz "venda livros a dizer como ficar rico"...

Anne disse...

Hahahahaha, mto bom esse post, querido!!! Eu odeeeeio livros de "auto-ajuda", odeio ainda mais qdo alguem me dá um, dizendo que é "da minha área" (sou psicóloga). Não acho que sejam, esses pretensos manuais não combinam com o que faço em consultorio, já que a cada dia aprendo mais e entendo mais que as pessoas são absolutamente diferentes e que maçetes prontos não servem para praticamente nada!

Mas...mtas pessoas se sentem ajudadas por ele, vai entender??? Deve ter algo que sirva para aquele momento de quem leu...

Eu acho um horror! Antes leio "Sabrina, Bianca ou Júlia" ou qualquer romancinho melado feito eles, que são um saquinho, mas passa o tempo e não tem a pretensão de me ensinar nada, já que em amor perfeito eu não acredito faz tempo...rs

Bjos e um ótimo fds pra vc

Rain disse...

Penso que esse tipo de "literatura" (como muitas muitas aspas!) me perdoem o termo, está, digamos que a proliferar tipo vírus e o pior é que tem cada vez mais hospedeiros! ;)

Beijo e parabéns pelo artigo. Excelente!

Blue Velvet disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Blue Velvet disse...

Querido Oliver,
escrevia o Fernando Pessoa. " Ai que prazer,
ter um livro para ler,
e não o fazer"
Pois é. Mas prazer maior ainda é vir aqui para ler Nada.
Como sempre o seu post é uma mescla de coisas sérias entremeadas de um humor irónico que adoro, coisa só suplantada pela admiração que tenho pela sua colecção de tios e tias maravilhosos.
E claro que as suas considerações àcerca dos livros de auto ajuda não podem ser mais acertadas.
Mas o mais fantástico é o que você sabe sobre as mulheres.
Começo a acreditar que você é o tal Príncipe Encanto montado no cavalo branco.
... o cara coça as partes íntimas em público;
aos domingos, ele prefere tomar muita cerveja, rodeado de amigos e soltando gritos comparáveis ao de duzentos godzillas, enquanto assistem futebol na TV; aniversário após aniversário, o presente é invariavelmente um eletrodoméstico;
num evento social, ele sempre a apresenta aos amigos com a expressão "essa aqui, é a patroa"; ou, utilizando-se de uma variável, digamos, mais doce "essa aqui, é a minha rainha do lar".
É que você sabe mesmo o que um homem NÃO PODE, em hipótese alguma fazer para agradar a uma mulher.
É que com um homem destes qual livro de auto ajuda pode ajudar?
Só mesmo um milagre e mesmo assim Deus teria que estar muito bem disposto...
Muitos beijinhos e obrigada por me fazer sorrir sempre que aqui venho.

2 de Dezembro de 2007 01:14

PS: O comentário anterior era meu, mas apaguei-o porque tinha um erro ortográfico.
Me desculpe

Thais G. disse...

Olha, esse post lembra o livro O Segredo mesmo. Me parece que hoje as pessoas sentem uma necessidade por manuais de felicidade. Não sabem fazer sozinhas seus caminhos e tampouco se dão conta de que toda essa literatura só contém apenas nossos clichês habituais.

Vou linkar teu blog ao meu, pq teus textos sempre me remetem a algum tipo de reflexão.

bjs, Oliver.

Olá!! disse...

Eu tenho um livro de auto ajuda, chama-se 12 meses de cozinha e recorro a ele quando me falta a inspiração ou a familia começa a reclamar a minha falta de imaginação culinária...
Brilhante o texto Oliver, como sempre...
Um excelente domingo ;))))

Eärwen Tulcakelumë disse...

Aiya Amroth Tasardur,
Aurë entuluva em que fanyarë comandarão o lië ... e paz, simplesmente.
Anar caluva tielyanna
Namárië!

Pérolas incandescentes de nillë.

Eärwen

Claudinha disse...

Acho congruentes suas observações sobre a incongruência e adorei a auto-ajuda ao autor.É a pura verdade. Eu já vi títulos piores que o da sua tia e coisas de arrepiar os cabelos . Eu uso estratégia militar para lidar com meu mais velho, ainda não tinha pensado em fogo... Rsrsrs.
Beijo e ótimo domingo!
Parabéns pelo primeiro mês do blog!

http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt disse...

olá meu amigo! tás bem ? gostei do texto e gostei de sber mais sobre esse livro de auto ajuda :)
hje deixo no meu blog um video e gosto da musica pq tem uma letra muito bonita alías eu gosto mais de musica k de escrita ou ler :) deixo um poema pa um amigo meu ,mas acho k tá horrivel pq acho k nao faço nad certo kuando é paar as pessoas k conheço :( me diz depois se gostas :)
♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥ . . ♥
......... ) ` - . .> ' `( ........
........ / . . . .`\ . . \ ............vim♥
. ....... |. . . . . |. . .| ...........te♥
.. ....... \ . . . ./ . ./ ..........fazer♥
........... `=(\ /.=` ...............uma♥
............. `-;`.-' ............ .visita♥
. .............. `)| ... , ............ e♥
................ || _.-'| ......... deixar♥
............. ,_|| \_,/ .............. uma♥
. ...... , ..... \|| .' ..............rosa♥
....... |\ |\ ,. ||/ .................para♥
. ... ,..\` | /|.,|Y\, ................que♥
..... '-...'-._..\||/ ............ ....seu♥
......... >_.-`Y| .....................dia♥
.............. ,_|| .................fique♥
................ \||.............perfumado♥
................. || .............♥
................. || .Bjs...♥

e um bom domingo
carla granja

SILÊNCIO CULPADO disse...

Por vezes as incongruências não são mais que o ser humano em busca de si próprio. E em busca de si próprio de uma forma obsessiva e magoada com mais solidão que a do Olivier do Sr.Pickwick. É que, quando Charles Dickens falava a solidão, era só solidão. Agora é uma solidão pisada e empurrada pela voragem do mundo moderno em que as pessoas procuram, no sobrenatural e nos almanaques, o grito da sua própria voz.
Gostei muito do texto e do blogue. Vou linká-lo.

Rui Caetano disse...

Mas que interessante, gostei muito deste teu blogue. aqui brinca-se com coisas sérias.

impulsos disse...

Nunca se sabe Oliver, nunca se sabe...
Guerra é guerra!!

Fartei-me de rir com o teu texto incrível.
Tens uma especial queda para o humor e isso é algo que muito me agrada nas pessoas e neste caso, na tua escrita.

Ele há livros para tudo, o que nos leva a concluir que só nos damos mal, porque queremos.
As soluções estão lá... nos livros!!!!

Beijo

Alice Matos disse...

Olá Oliver...
Gostei muito do teu texto e concordo com ele no essencial... Esses livros não passam de senso comum (quando o são) nas mãos de gente com ALGUMA habilidade com as palavras... Não faço disto doutrina... mas concordo no essencial...

Beijos...

São disse...

Eu penso que sim, que há pessoas com intenção de eliminar quem está na meia idade...E isto numa época em que a esperança de vida está aumentando!!
Imagine que até para ser aceite como voluntário/a uma pessoa com 40 anos não é considerada: Associação Católica "leigos para o Desenvolvimento".
Claro que com dinheiro pode contribuir!!AH!AH! Notas e moedas não têm idade!..
Abraço.

AnaLua disse...

Como diz Zeca Baleiro em uma de suas canções: "Não suporto livros de auto-ajuda". Verdadeiros manuais de "como se deve ser", mas, sejamso sinceros, quem lê manuais??? Mas há um clássico da auto-ajuda, Caracteres, de Jean de La Bruyère, do século XVII, que apesar de antigo é bem mais realista!



Quanto ao seu comentário no meu blog, respondo: não sou encantada, ainda estou me encantando.

Seja bem vindo-sempre, vou voltar sempre aqui também, gostei.

Gata Verde disse...

Vim retribuir a tua visita e gostei do que li.
Voltarei...

Beijinhos e boa semana

R@Ser disse...

Olá querido,passando para te ler.


Bjim e um ótimo inicio de semana!

SF disse...

Vim agradecer a visita e as palavras simpáticas deixadas nos meus espaços perdidos. Deliciei-me com este blog, inteligente e divertido, e fico a aguardar a próxima visita a casa da tia Marizete... quero provar esse bolo de chocolate. :)
Beijinhos e até já!

Olhos de mel disse...

Oie lindo! Amei seu post! É impressionante que existam inúmeras pessoas que não só compram, como leem e o guardam na cabeceira como algo impressíndível, por perto.
Se alguém acredita que pode subir tanto, apenas com essas leituras... faz-me rir.
Que sua semana seja maravilhosa!
Beijos

Paula Crespo disse...

Mas onde é que você estava que eu não o tinha ainda descoberto, Mr. Pickwick???
O seu blog é espantoso! Fartei-me de rir! Muito bem escrito, inteligente e divertido. Parabéns!
Gostei de muita coisa - por exemplo, da crítica aos livros de auto-ajuda: partilho exactamente da mesma opinião!
Já agora: obrigada pela sua visita ao meu espaço e ainda bem que gostou.
Sinceramente, hei-de voltar muitas vezes!
Bjs

A Túlipa disse...

Um texo bem disposto, bom de ler =]

Muito obrigada pela visita, volte sempre que uiser, que eu voltarei para retriuir o gsto =]

Beijo

efeneto disse...

De passagem para desejar uma optima semana e agradecer a visita. Abraço.

* hemisfério norte disse...

cheguei aqui através da Ana Lua. normalmente prefiro blogs simples.
Mas este está genial.
Talvez tenha sido o twist que me cativou, sim, acho q foi ele.
Livros de auto ajuda? Hummmm....... ñ obrigada. Acho que para mudarmos vícios e outros é necessária é muita força de vontade.

Bom, mas o que eu queria mesmo era.....
1 - Convidar vc para visitar meus blogs (já coloquei lá água fresca para twist)
2 - Não dá para me enviar um pouquinho desse tal bolo da titia Marizete?

:
bjs de Portugal
a.

Maria Laura disse...

Acho a sua escrita absolutamente viciante. A gente lê e quer sempre ler mais. Divertindo-se pelo caminho.
Praga daninha, essa dos livros de auto-ajuda. Só para os autores é que não, claro... :)

Sah disse...

Oliver,

E eu me senti imensamente feliz com seu comentário e seu elogio!Obrigada, mesmo.

Quanto ao seu post, talvez a incongruência seja um problema de catalogação! Se fossem esses livros classificados como "Filosofia", será que seriam mais bem vistos? Não seriam nossos atuais livros de auto-ajuda, uma espécie de filosofia contemporânea?! Sabemos que "porcarias" e "espertezas" existem em todos os cantos, em todos os gêneros; mas se algo realmente colabora para a ampliação da auto-percepção do ser, tenha o nome que for, algum valor, decerto que tem, não? Só acho que não devemos deixar que preconceitos limitem nossa compreensão. Mas concordo que as mulheres continuam sendo um alvo fácil para garantir as vendas de "certos manuais"!
Já sobre a Arte da Guerra, creio que adotando as práticas não, mas sim, seus princípios.

Um ótimo texto que nos rende muitas reflexões!

Um grande abraço,

Luís Galego disse...

texto delicioso. uma espécie de manta de excelentes retalhos...

Adriana disse...

ola, tenha uma semana maravilhosa
bjs

Sunshine disse...

Ei Oliver!! Tudo bem...??
Sexta-feira vai ter algo para ler...
Obrigado pela visita.. and let de sunshine ...

Bjs e boa semana... (ainda venho ler mais um pouco)

Menina do Rio disse...

Os livros de auto ajuda, ajudam muito...os autores, rs...
beijinhos

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Oliver, grata pelas suas visitas aos meus cantinhos, as suas palavras são um bálsamo para a minha alma.
Muitos beijinhos,
Fernandinha

Luisa disse...

Muito obrigada pelas amáveis palavras deixados no meu blog. Acabámos de nos conhecer, não foi? Como sou delicada, vim pagar-te a visita imediatamente e dar uma vista de olhos ao teu blog que achei cheio de humor. O que estranhei na tua bela e corrida escrita, é que não escreves como os brasileiros com quem contacto escrevem. Os termos, a sintaxe são verdadeiramente portugês de Portugal. És um português a viver no Brasil ou andaste noutra escola...????
Luisa
http://ecosdotempo,blogs.sapo.pt

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Livros de acrdo com as politicas actuais do consumo, e do plástico....

Quanto ao Neruda que seguravas...
lembro com delícia o "morre lentamente quem não lê"...

beijos

Flavinha disse...

o pior tipo de livro de auto-ajuda é aquele que anda sobre duas pernas. Esse aí fala (bobagens, mas fala), anda (e corre atrás da gente) e, como se não bastasse, traumatiza...

apareça sempre que quiser - para conversar fiado, então... rsrs... e qdo tiver uma chance vai lá na Mila. Essa impressão de professora má vai cair por terra (hehehe)...

Beijo!

Edna Federico disse...

Riso...muito bom!
Eu também acho a maioria desses livros de auto-ajuda um pé!
Acho dinheiro jogado fora, porque as pessoas estão carecas de saber o que devem fazer e mesmo assim compram os livros para confirmar...
Beijo

Fátima disse...

Meu amigo Oliver,

Os livros de AUTO-AJUDA não são a minha prioridade, aliás ainda não comprei nenhum (não conheço alguns que falas mas por aqui há uns bem parecidos), acho que servem mesmo para ajudar quem os escreve.
Quando ao livro da estratégia empresarial não sei dará grande grande resultado!
Então saiu da livraria... e o livro de Neruda???
Continuo a adorar vir visitar este cantinho sobre o nada que já me ensinou muito.

:- Um beijo

Ana D disse...

Originalíssimo teu blog rs..Desde a descrição ("o melhor blog sobre nada") no título até o ambiente medieval rs...E eu que gosto deste ambiente me senti em casa...rs..Quanto aos livros de auto-ajuda me dão uma "canseira" incrível...A moda agora é "O Segredo"...Enfim, não acho que se vc menatlizar um carro conversível e milhóes de dólares eles irão se materializar rsrs..Acredito sim, que pensando positivo, sendo otimista E TRABALHANDO muito vc consiga chegar lá...e outra coisa indiscutível é se vc for legal, ético e tals, vai ter isso de volta..Gente má não tem como obter sucesso e admiração...Falei demais rsrs...O tema é legal...

Ana D disse...

E lendo amis alguns posts deixo aqui minha opinião mais ampla: inteligentee bem humorado teu texto.

Sah disse...

É verdade, Oliver, nos fazemos um enorme bem quando 'abalamos' nossas próprias convicções. Não é muito prudente seguir o tempo todo cercados por elas, que podem tornar-se rígidas demais. O humor e até certo ponto, a ironia, têm esse dom de questionamento. O que você, habilmente, faz em seus textos.

Beijos e uma ótima semana para vc tbm!

Ana D disse...

Oliver Twist também é um ótimo personagem...Acho isso...

Luisa disse...

Cá venho eu outra vez para falar de escrita. Nós também usamos o você mas este tratamento só pode ser dado a pessoas da mesma idade e categoria social.E nessa altura usamos a terceira pessoa do singular. Por exemplo: "quer vir comigo ao cinema?" Nem precisamos de dizer "você". Quando somos muito íntimos, usamos o "tu": "queres vir comigo ao cinema?". Quanto ao "vós", caiu completamente em desuso. Mas com certeza que tudo isto já sabes tu.
Luisa
http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt

Claudia Perotti disse...

Olá querido,

Agradeço-te a tua visita na minha página e estou aqui perdida no meio de tuas letrinhas deleitando-me...

Não perderei-te de vista!

Beijinhosssss

R@Ser disse...

Amigo...passando para te ler!

Bjos doces

Maria José disse...

É claro que tais maravilhas literárias não são uma pérola da escrita, nem tão-pouco cantilenas mágicas apaziguadoras de todas as tormentas. Porém, e mais importante, se afastarem lágrimas e, à sua maneira, seja ela qual for, constituirem aquele empurrão necessário para que olhos se abram e Pessoas cresçam sem medo de serem gente, não será melhor que continuem sendo o que são e como são?

Talvez.

Sol da meia noite disse...

Olha, conheci em tempos uma senhora (esposa dum pastor evangélico) que se socorria dum livro que tinha na mesinha de cabeceira, para saber como conduzir a vida conjugal...
Lá está... a importância dos livros.

Beijinhos

Lilian Haber disse...

Parabéns!!!! Excelentes teus posts.

Madalena Barranco disse...

Oliver, suas crônicas são uma delícia com o toque certo de humor!

Ah, eu não sou fã de livros de auto ajuda - prefiro ser fã do seu blog.:)que sempre tem algo inteligente para contar. Por falar nisso, agradeço-lhe a visita e gentil comentário em meu blog Morango. E, voltando ao assunto de sua postagem, eu acho que basta ler um livro de auto-ajuda para saber como serão os outros. Porque assim como muitas pessoas eu também já tive a fase de ler esses livros e como você sugeriu: eles não resolvem os problemas. Beijos!!!

Carol Barcellos disse...

Hahaha, esse lance de auto-ajuda é mesmo um barato. Há um tempo atrás, um conhecido meu disse que ia aprender piano sozinho. Toda vez que vinha à minha casa, começava a chegar perto do piano, e perguntar: É aqui que é o dó? pra que serve esse pedal? Aí, eu disse: Descubra sozinho! Ou então seja homem, admita que não sabe, e eu te ensino.
Bem, ele aprendeu pra que servem os pedais perguntando por aí, mas espalha pro mundo que é auto-didata. Quem é auto-didata? Quem não aprendeu com alguém, direta ou indiretamente?

Seu blog é uma coisa de louco: super divertido, amei!

Beijos!

Mila disse...

Vim retribuir sua visita... com um olho só... pq dois é jogo duro... hauahauaha... o resto... ta por la no meu mundo tb... espalhado... mas na porta de entrada fica o olho que tudo ve... hehehehe... vou te add la ok?
Venha me visitar sempre!!!!
Beijos Mila
Ps.: Exageros de Anne... hauahauaha

Maria José disse...

Não, mágoa não.
No fundo, não escrevi como se de mim se tratasse. Antes, sendo médica, lido com as alegrias e as tristezas diariamente e fui-me apercebendo de como podem ser diversas as formas de ajuda, consolo, força que o ser humano possa encontrar. E daí que procure, tal como com o comentário anterior, que todos mantenham a mente igualmente aberta. E porquê deixar a mensagem subliminarmente nas palavras que aqui deixei? Talvez para que quem por aqui passasse e lesse o teu texto e os comentários dele nascidos, abrisse um pouco os olhos. Por que creio haver muitas mentes que conheço ou me são estranhas de rosto, pouco receptiva à diversidade; por aqui e pelo mundo palpável.

:)

O Profeta disse...

Pois é amigo, vamos lá publicar um livro, a blogoesfera começa a ser pequena para tanta criatividade...


Aquele abraço

Lebowski disse...

Heauheauheauheuaehuaheuaheuah!
Muito boa essa história dos livros de auto-ajuda! Uma das melhores postagens!
Só pra completar a postagem, um certo RAUL SEIXAS, disse uma vez:
"ANTES DE LER O LIVRO QUE O GURU LHE DEU VOCÊ TEM QUE ESCREVER O SEU!"
Abração e parabens!

PoesiaMGD disse...

Por vezes, os títulos nos surpreendem! Um interessante texto o seu! E parabéns pelo "prémio"!
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Acho extraordinário o teu humor fino e o teu espírito de observação patentes na forma como escreves. Realmente nós vivemos em sociedades formatadas, esteriotipadas, encarneiradas em que os indivíduos são, cada vez mais, caminhantes solitários na multidão que os arrasta. E depois procuram ensinamentos em livros, em bruxas, em astrólogos em tudo o que lhes possa explicar qual o sentido da vida num espaço que, quanto mais se conquista, mais desinteressante fica. É que perdida a interioridade e o gosto pelas coisas simples pouco ou nada nos resta.

Gostaria que fosses ao Notas Soltas dar a tua opinião sobre a legalização da prostituição.
http://notassoltasideiastontas.blogspot.com

paula disse...

Vim aqui ter por acaso, mas gostei bastante!
Voltarei

Evita Perón disse...

Nossa hahahahaha muito bom, adorei. Eu também ODEIO auto-ajuda. Puxa, eu não entendo, realmente, como pode gente gastar 40 reais com um livro do augusto cury por exemplo. Antes fosse Grande Sertão: Veredas.
Ou até uma coisa mais simples, uma ficção tosca. Mas auto-ajuda? Ah não..
Realmente.. é o fim!
Adorei o seu blog, obrigada pela visita, e espero vê-lo mais vezes por lá!
E eu por aqui.
um abraço.

Crítica e denúncia disse...

Psiu ! Venho hoje aqui vestida de zorro, capa, máscara e tudo mais...sabe que venho me escondendo por baixo da capa negra, pois quando vi a lista da mulherada na fila de espera, achei melhor passar despercebida para não sair corrida. (srsrsrsrsr) Por sinal a "heroína" como tu dizes não é bem-vinda nem no Brasil, nem em Portugal, pois andou falando mal de "gentem" de ambos os "ladios" e assim, passei a me vestir de zorro. Fui parar no sudão e nem lá me quiseram.
E você tem razão "mocinho -bandido" (um dia explico pq) em relação aos livros de auto-ajuda, nunca li nenhum e se eles servem como "conselho" vem o ditado "se conselho fosse bom a "gentem" não dava, vendia...como eles são caros, devem ser bons, assim sendo, para não comprar mais inimigos, estou de acordo com todo mundo, assino embaixo dos que são contra e dos que são a favor.(rsrsrssr)
Grande abraço meu amigo e obrigada pela força.
Alda( o sobrenome Inacio nem posso mais assinar, pois um leve suspiro de juntar meu nome e sobrenome sai no Google, por isto vou continuar disfarçada de zorro.Até mais...fui !

Sunshine disse...

Ola Oliver, passei mais uma vez para completar a leitura do teu post. Quero estar preparada para mais um Big Post na sexta-feira e ainda teria muita coisa para te dizer se tivesse tempo, que não tenho, infelizmente. Por isso não digo NADA, leio e sorrio, guardo a minha opinão para qd tiver um pouco mais de tempo, pese embora continuar a divagar sobre os livros de auta-ajuda num outro post teu.
Vais perdoar concerteza.

Obrigado pela ... rapidissima visita ao meu cantinho, tão rápida (falta de tempo naturalmente, que nem viu NADA ... compreende-se, também não vale NADA né??)

Bjs. Fico aguardando sexta-feira, ou seja amanhã para mais uma divagação, sobre o Nada mas tão bem estruturada que tem TUDO... incongruências ... enfim ...

O Sibarita disse...

Qualé meu véio? kkkk Olhe vou dar parte no Procon contra este Blog, viu? kkkkk

Aqui empacou nesta postagem e adeus corina (kkk) não se fala mais nada sobre nada, assim, não dá! kkk É propaganda enganosa...

E onde ficam os direitos dos leitores ávidos pelo nada? kkk

E ai fio? kkk Tome Procon! kkkkk

abraços
O Sibarita

Vera disse...

Os livros de auto-ajuda têm a função de ajudar! Pense bem... AUTO (autores) AJUDA!!! Eheheheh!
Quem compra está a ajudar o autor ;)
Belo post! Fiquei foi com vontade de provar o bolo de chocolate da tia Marizete...

Beijinhos

nuvem disse...

Absolutamente fantástico, na forma e no conteúdo. Adorei. Tenho apenas uma coisa a pedir... Não deixe nunca de escrever!

Beijo

M. disse...

A graça da escrita é muita. As verdades também...

Lusófona disse...

Onde eu assino? rsrsrsr
Ótimo texto, excelente visão!

Eu adoro livros fictícios... e principalmente quando já são mais antigos e não tenho que desembolsar muito dinheiro... Acho um absurdo alguns preços de livros... parece que não querem incetivar a leitura.

Ainda bem que com a internet, isso está a mudar um pouco, já nem sei como nós conseguimos viver tanto tempo sem blogues...hehehehehe

Beijos e obrigada pela presença no meu cafofu

Å®t Øf £övë disse...

Pickwick,
Gosto da forma como escreves, e o que escreves. Por isso sempre que posso passo por cá para ler uns textos mais antigos.
Concordo com esta tua reflexão. Eu acho que as pessoas cada vez se sentem mais perdidas, e por isso é que procuram ajuda neste tipo de livros, que na realidade não lhes adiciona nada de novo nas suas vidas.
Só pessoas vulneráveis, e altamente influenciaveis lêem este tipo de livros, porque aqueles que são confiantes em si mesmos não precisão destas pseudo auto-ajudas.
Outra praga que agora anda aí na moda são as biografias, que levam determinado tipo de pessoas a tentarem copiar aquilo que lêem dos suposdtos famosos. Pobres coitados.
Entre estes dois tipos de livros, não sei qual deles é o pior. Venha o diabo e escolha.
Abraço.

SF disse...

Muito bom, querido Oliver... como sempre! Este deve ser, de facto, 'o melhor blog sobre nada'... sobre tudo e mais alguma coisa. :)
Quanto aos livros de 'auto-ajuda', abomino a ideia de deixar a minha vida nas (pseudo-)mãos de um livro. Assusta-se, até. Credo!!! A menos que o livro fosse meu... :)

Beijinhos de boa Páscoa

SF disse...

Correcção: 'assusta-me'
:)

Beijos

Å®t Øf £övë disse...

Pickwick,
Como costumo dizer...

.....oooO.............
....(....)....Oooo....
.....)../. ...(....)..
.....(_/.......)../...
.............. (_/....
... PASSEI POR .......
.......... AQUI ......
......................


Abraço