FILOSOFIA DE ALMANAQUE

Prezado leitor, em sua opinião, qual o melhor atributo da natureza humana? Imagino que, agora, na passarela da sua mente há um desfile hesitante de expressões, tais como: "espere...", "deixa ver...", "humm...". Quanto a mim, considero a lealdade. Muito bem, sigam-me os bons! E o segundo melhor? Não hesitaria em responder: o bom humor. Com mil arcabuzes! O bom humor? Isso mesmo! Ora, direis, e o amor? O amor é o mais famoso dos sentimentos humanos, contudo, numa hierarquia de valores daquilo que é do próprio ser, em ordem decrescente, ele situa-se abaixo da lealdade, dado que não floresce sem esta última. Ao menos em condições de normalidade psíquica, porquanto fora deste estado, com frequência o amor é confundido com obsessão. Por analogia, o amor é de igual modo aquele ator coadjuvante que em determinado filme "roubou a cena" do protagonista, a lealdade.

Mas centremos no bom humor, caracterizemos melhor a importância desta disposição de espírito nas relações interpessoais, e, especialmente, em referência a nós mesmos. No passado acreditava-se que o organismo humano compunha-se de quatro tipos de matérias líquidas denominadas, cada uma delas, justamente de humor. Eram eles: o sangue, a fleuma, a bílis amarela e a bílis negra. Em muitos contextos, fleuma tem significado de serenidade, paz de espírito, tranqüilidade. Resulta óbvio, então, a aplicação da sentença lógica-doméstica: se o estado é de extremo mau humor, logo é incompatível com a disposição à serenidade. Por outro lado, muitas vezes o estado de serenidade é um reflexo natural do bom humor.

Certo dia, convidado por um amigo que fazia parte de um grupo de cinéfilos radicais, conheci uma garota num desses festivais de filmes alternativos que acontecem em cinematecas e cineclubes. Achei estranho uma mulher tão bonita exibir em todo o tempo uma expressão que lembrava o antigo ator Buster Keaton, também conhecido como o homem que nunca ri. A propósito, melhor abrir um parêntese aqui para um alerta importante: se o amigo leitor, ou leitora, anda a procura da sua alma gêmea, cinematecas e cineclubes não são os melhores lugares para se conhecer pessoas bem-humoradas. Você sabe, essa tribo anti-hollywoodiana de fanáticos por filmes paquistaneses, argentinos e iranianos, além de não se importarem com a climatização deficiente da sala, nem com a ausência de dolby surround 6.1 e tampouco com os estofados surrados, quase sempre são irritadiços por natureza. Logo, mal-humorados. Quer uma prova? Experimente dizer num ambiente destes que adora aquela gracinha de lábios tentadores, a Scarlett Johansson. Certamente terá como resposta um "humpft", seguido da expressão: "prefiro a Chloe Sevigny". E pior, durante todo o resto do tempo que permanecer no lugar, ao fitar alguém do mesmo grupo, este desviará o olhar, além de resmungar entre dentes: "humpft". É o mesmo que ser leproso na Idade Média ou, nos dias de hoje, acender um cigarro num meio hostil.
Ao perceber que a garota trazia um livro debaixo do braço, para derreter o gelo, indaguei: "quer que adivinhe o autor deste livro?". Ela rezingou um "humpft", fitando-me com altivez. Continuei: "vamos lá, dê uma pista, como por exemplo, o gênero literário do livro". Por alguns instantes ela substituiu o semblante mau humorado por um riso sardônico, e respondeu: "filosofia".

Suponho que a ingestão diária, por esta galera, de alface, brócolos, aipo e rúcula, em detrimento de um suculento bife, desequilibra os humores. Portanto, nestes ambientes de maioria pró-vegetariana e de intolerância máxima, é preciso ser cuidadoso nas respostas.
E bem ali, no olho do furacão de um grupo de cinéfilos xiitas e de vertentes variadas, carecia da habilidade de um chanceler doméstico, pois alguns deles eram fãs da trindade Fidel, Evo e Chavez - por sinal, os mais radicais destes clãs; outros, membros do Greenpeace, consequentemente, com pré-disposição incessante a um ataque de nervos, bastando para ativá-lo, a simples menção da notícia do encalhe de uma baleia em uma praia qualquer. Acrescente, ainda, aqueles que falavam de bruxas e de duendes como se estes seres féericos fossem bombeiros ou guardas de trânsito, ou seja, pessoas comuns, do dia-a-dia. Também havia praticantes de turismo ecológico, peregrinos do Caminho de Santiago, e adeptos da quiroprática.
Porém, confiante no meu bom humor, busquei com toda a minúcia um autor que se encaixasse na preferência da garota e da sua turma. Gente deste perfil, imaginei, por certo são leitores de filosofia
underground. Assim, titubeei entre Hebert Marcuse, uma espécie de combustível do revolucionário ano de 1968; e Sartre, o marido da Simone de Beauvoir. Conjeturei que Marcuse fazia mais o gênero "fora da mídia". E escolhi este filósofo para a minha resposta.

Com um "V" de vendeta no olhar, a moça estampou a capa do livro bem na minha cara. Para a minha surpresa o autor era o filósofo Arthur Schopenhauer. Com mil bacamartes! Por acaso teria sido preconceituoso nas minhas conjeturas acerca daquele grupo? Pois Schopenhauer, apesar de filósofo pessimista em sua visão do mundo, pertence a uma escola tradicional. Neste caso, quais razões motivariam a moça em questão àquele temperamento de rinoceronte? Pensei, pensei, e ao relancear outra vez as vistas na capa do livro, enfim, meus olhos, atônitos, vislumbraram a verdade. Aquele livro de aparência inocente trazia um princípio poderoso, capaz de extirpar, dentre outras coisas, o mais importante ingrediente do carisma, o bom humor. Senão, confira você mesmo. O título do livro era Sobre A Quádrupla Raiz Do Princípio Da Razão Suficiente. Se em matemática pura, as raízes cúbicas e quadradas já são motores possíveis de levarem muitos à enxaqueca, imagine uma raiz quádrupla, e ainda por cima aplicada à filosofia. É quase certo supor que a leitura de tal livro representa um aprendizado de alto nível para candidatos a Urtigão, aquele personagem eremita e mal-humorado de Disney. Por conseguinte, portadores de níveis de tolerância geral análogo a zero.

O bom humor é o mais camaleônico dos estados de espírito, pois que harmoniza com quase todos os outros sentimentos próprios da
natureza humana, potencializando-os para melhor. Se associado à tríade otimismo, vida espartana e cartesianismo doméstico, é o nirvana da vida prática, sem complicações. E o melhor dos seus efeitos é ser feliz. Avalio por mim, porquanto desde tempos imemoráveis jamais fiz uso da pergunta: "alguém aí tem um Valium?" ;o)

Sobre o novo layout
Comecei a programar e a desenhar este template há uns seis meses, aos poucos, em meus momentos de folga, por sinal, raros nos últimos tempos. Aproveitei o feriado do Carnaval para concluí-lo. Espero que gostem.
Testei o template nos navegadores Internet Explorer, SeaMonkey e, é claro, no Firefox - o preferido de onze entre dez geeks. Não detectei nenhum bug, todavia, se algum amigo visitante identificar algum, agradeceria se me informasse.
A propósito, este site é melhor visto no Firefox. ;)

85 comentários:

Mai disse...

Oi, Oliver.

Que bom estares de volta à terra sem chão e em bites...

Parabéns pelo novo Lay.
Demorou um pouquinho para carregar a página. Bem menos que a antiga e pode ser o meu note (retardado)tb.

Deixa ler o almanaquezinho do 'Pickwick'...

Mai disse...

...Não retiraria vírgula desse texto 'impagável'... Acrescentaria pequena 'nota de rodapé'...

Uma plaquinha assim:
'Pitbull raivoso e anti-social' (assim mesmo com hífen)...

Não costumavam gostar de cinema ou de vegetais mas, vou te dizer:
a delícia que está este texto, fosse um livro, eu comeria as folhas e assim seria vegetariana. Mas felizmente sou bem humorada...'hunf'...

Lealdade e bom humor, certamente são precursores do amor construtivo - libertário.

Obsessão é obsessão.
Prefiro não confundir os sentimentos 'tarja preta'.
As Guerras estão mais próximas da obsessão.

Agora a onomatopéia do mau humor, foi o máximo... 'hunf' será imortal... Sempre lembrarei desse texto com um pitbul antisocial rosnando filosofia em 'hunf'...

Que bom teres conseguido escrever.
Não demora muito.
És quase imprescindível...

Carinho,

Mai

Sunshine disse...

Hello Oliver!!!

Prazer em te ver de volta!!!

Não vou comentar sobre os cinéfilos radicais ou não pois desconheço em absoluto o seu modo de estar.
No entanto não posso deixar de dizer uma vez mais que a versatilidade com que abordas os mais diferentes assuntos é espantosa.


Feliz por estares de volta e sempre bem disposto.

Beijos com amizade.

Dona Sra. Urtigão disse...

Em pimeiro lugar, quero dizer que fico feliz por estares de volta. Mas...
tenho a lamentar seu texto preconceituoso. Por partes: O Urtigão não é mau humorado per si, apenas ao ter seus direitos invadidos por aquele sem-noção do Peninha coadjuvado pelo idem Donald, este sim um mal-humorado cronico, Urtigão defende de bacamarte e cães seu direito à diferença e preservação de sua mata/sítio.
Quantos aos vegetarianos e militantes verdes, existe a clara distinção entre os ecochatos, que seriam chatos em qualquer militância e os autênticos, que brindam às alegrias da natureza.
Dou razão a ti quanto aos frequentadores destas salas de cinema, estes sim, todos chatos, sejam vegetarianos ou carnívoros, crentes em fadas ou na ciência como única perspectiva do humano ( Já conversaste, sem dúvida, com membros deste último grupo),
E finalmente, embora não tenha esgotado aqui todas as críticas feitas, ao abordar o conhecimento dos mecanismos materiais(?) do organismo humano, voce o faz sob a perspectiva helenocêntrica, enquanto outros modelos culturais tratam da interação de outros fatores/sentimentos/emoções/paixões, como a tradição chinesa, a sufi, a hindu, africanas, "pre-colombianas"
Amigos?
Abraço.

Amor amor disse...

Texto vitamínico, food for thought, que deixa os neurônios em atividade energética, e sinapses superagradáveis(tá vcerto isso, de acordo com a reforma ortográfica?. hehehe...).

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh, saudaaaaaaaaaaaaaadeeeeeeee, você está de vooooooltaaaaa, uhuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!

(Pausa para voltar à postura cínica depois dos gritos histéricos ;o> )

1- O layout está lindo, a sua cara, e muito agradávelpara os visitantes, por conter a clássica serenidade e a agitação metropolitana. Amei!

2- Mas quem é esta coisa mais fofinha? Nesta idade, e já com esses olhos???? (No words...)

3- Com mil arcabuzes! Com mil raios! Ah, que delícia estar de volta lendo escritos do autor mais cortês e elegante da blogosfera.

4- Darling-querido, continuo acreditando que o amor é a base para tudo, e que sem ele, não haveria tampouco a noção de lealdade, quanto mais a prática dela. Não falo do amor entre homem e mulher, claro...

5-Ah, não acredito que vc não se acertou com essa menina. Vamos lá, está escondendo uma segunda parte da história, não está? Bem, aqui pra nós, esse pessoal anti-hollywoodiano que ignora os prazeres surroundísticos da carne são aberrações da natureza. Aceito dizer que isso inclui a Scarlett (quem sabe que, se eu fosse homem, ela faria meu tipo? Mas acho que não, porque como mulher já tive vontade de ser várias por um dia, mas ela, nem por um minuto, eu não combino com carinha-de-PaulaPatríciaJéssica-fingidinha, hihihi).

6- Ah, então vc fuma? Acender um cigarro no meio hostil...aham...Darling-querido, devo dizer que o meio hostil é aquele que não se importa nem um pouco quando vc fuma.

7-Com o V de vendeta, vc já conseguiu muitos pontos: há aquelas que gostam sempre de ganhar. Mas eu prefiro acreditar que vc deixou que ela ganhasse. Isto é uma tática espartana, esse jeito sutil de domínio?

8-Uma vez que vc está a bilhões de anos-luz à minha frente tecnologicamente, eu comecei a prestar atenção em desenhos vetorial agora, especialmente os florais. Depois vc me dá umas dicas para ignorantes-inciantes? Hahaha! É que vc explica daquele jeito claro e óbvio, que nos leva a pensar que o assunto não é difícil. Aí está o dom do ensino!

9- Se vc jamais fez uso de Valium, não deve querer que seus leitores o façam. Portanto, não demore muito a escrever novos post, ok?

10- Desculpe a ignorância, que aliás, está me acompanhando hoje o dia inteiro, mas calar-se é pior do que ter orgulho de perguntar: o que seria cartesianismo doméstico? ;o>

Beijinhos doces cristalizados!!! :o*

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Meu amigo:
Fiz Filosofia na USP e ao ler o seu texto é como se eu o tivesse escrito. Que pessoas carrancudas, chatas, que eu aturei por 5 anos, mas que eu desbancava. Eu ia muito bem em Lógica e gostava. Certa feita, na matéria Filosofia da Ciência, iniciou-se uma masturbação mental. Comecei a picar papéis e falei bem alto "Odeio lógica". É óbvio que todos se voltaram para mim, mas cosegui acabar com a discussão que não levava a nada. Havia os puxa-sacos. Nunca fiz parte deles. Fiz parte da elite que não precisa puxar saco de ninguém, que ia de quarta a domingo ao cinema assistir a todo tipo de filme, sem discriminações, e que tirava as motas mais altas. Conheci meu futuro marido nessa Faculdade, tinha 21 anos, engravidei e me casei. Aos 25 anos, perdi os dois. No princípio queria morrer, mas como o que nos move, segundo Schopenhauer, é a vontade de viver, um dia eu saí da cama e recomecei a minha vida sem culpas. Fiz pós-gradução nas Letras, ambiente muito mais descontraído, onde não havia carrancas. É claro que me tornei depressiva e faço tratamento até hoje. Às vezes, fico de mau humor, então me recolho, para não incomodar ninguém.
Gosto muitíssimo do seu texto e gostaria muito que me visitasse nos meus novos espaços que acho que você não conhece:
o Poemas da Renata:
http://poemas-renata.blogspot.com
o Sessão da Tarde:
http://sessao-tarde.blogspot.com
e o Gótico:
http://blogrenatagotica.blogspot.com
Mas não se esqueça de dar uma passadinha na minha Galeria.
Um beijo,
Renata

f@ disse...

Olá Oliver, bem vindo e parabéns pelo novo e magnífico look...

Vai que o título do livro até que desperta o meu interesse... mas prefiro 1000 vezes ler aqui o que escreves...
... mto criativo e com esse humor e talento...

Beijinhos das nuvens

bat_trash disse...

Constatei a partir de teu texto que apesar de eu ir ao menos duas vezes por semana ao cinema, não sou cinéfila, pois não me identifiquei em nada com o perfil mostrado no texto...ainda bem, né? hahahahaha!
Hunf...impagável!
Excelente texto...fartei-me de rir!

Beijos.

bat_trash disse...

Adorei o novo template, mas não entendi lhufas das explicações...LOL!

Rosamaria disse...

Estive aqui ontem, na casa antiga e como vi no reader que tinha novidades, voltei. Só que nem imaginava que fosse encontrar o Condado tão lindo. Parabéns!

Graças a Deus, meu amigo, eu sou muito bem humorada, sempre fui, mesmo quando não era tão feliz.

Bjim.

BlueVelvet disse...

Guilhermeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee, você voltou!!!!!!
E o layout está lindo demais. E eu que pensava que você não era profissional a fazer layouts, iac, iac, iac
Como você era lindo em garoto. Quer dizer, ainda é.
E voltou no seu melhor. O texto está delicioso. Mesmo tratando uma matéria que poderia ser maçadora, você deu-lhe a volta necessária para ficarmos presos à narrativa.
Espartano, lindo e com humor, eis a receita para o seu sucesso.
Espero que tenha voltado para ficar.
Muitos beijinhos

M@ disse...

Bem-Vindo...

São disse...

A primeira visão que tive foi de letrinhas negras em fundo escuro, impossíveis de lar aq uem já tem 59 anos e lentes progressivas há doze, rrrss Mas - aleluia!-aclarou...
E que é um Bug?! Desculpe a ignorância!

Quanto ao bom humor, é de facto das características mais necessárias importante , sim, para que eu me interesse por alguém.

Fique bem , meu bem.

Clarissa Barth disse...

Olá Oliver, bem-vindo de volta!! Parabéns pelo novo visual, funcionou muito bem no meu Firefox de MacOS X (coisa de geek sofisticada, claro) Ah: simpatizo com vegetarianos, filósofia e papos new-age, convivo com as bruxas muito bem, mas não gosto de gente de mau-humor - aliás, meu humor é excelente. Veja que contradição, de acordo com os teus padrões. De todo jeito, espero que continues frequentando minha cozinha, que está numa fase japonesa, deliciosa. Um beijo!

mariab disse...

que feliz me sinto por gostar de cinema de Hollywood e ser incapaz de abrir um livro com esse nome! :)) Excelente prosa, Oliver!
Beijos

Å®t Øf £övë disse...

Pickwick,
O bom humor muitas vezes pode ser a melhor arma que se pode ter para "quebrar o gelo". Estou completamente de acordo contigo.
Abraço.

heretico disse...

feliz por te saber de volta. excelente o teu humor.

de arrasar "quadraduras"!...

abraços

Olhos de mel disse...

Oie lindo, bom regresso! Fez falta, viu?
Eu concordo com a lealdade, humildade, respeito, etc.. O bem e o mal humor depende muito do dia e dos problemas enfrentados. Porque ninguém e exatamente, o tempo todo, nem um nem outro. Assim acredito.
O layout está lindo! E as fotos, são da sua infância, ou de filhos? Estão lindas!
Beijos

M@ disse...

Lindas carinhas, saiem ao pai?
Bemfeitinhos.
Beijo
Manuela

Teté disse...

Lealdade é bom no amor, na amizade, com nós mesmos! E o sentido de humor fundamental para não nos levarmos demasiado a sério, em opiniões, escolhas ou vontades, quando não tornamos a nossa vida e a dos que nos rodeiam num martírio. Digo eu, que não sou muito ligada a filosofias...

A serenidade ou a fleuma já me parecem ondas distantes do bom humor crónico, porque este não é incompatível com alguma indignação ou irritação, podendo até originar uma crítica mais contundente!

Adoro cinema, de um ponto de vista amador, cinéfilos radicais tendem a estragar esse prazer, com opiniões sobre ângulos de câmara, conteúdos fantasmagóricos que ninguém percebeu e beleza estampada no ecrã é entendida como produto de 5ª categoria. E sim, na sua maioria são uns caras-pálidas e macilentas, enfurnados que passam a vida nas salas de cinema, quase sem ver a luz do Sol. Mesmo bem-humorada, não tenho pachorra para esses 'hunfs' a torto e a direito, nem para a verborreia que indica o tal filme polaco, iraniano, francês, argentino, whatever, como o suprassumo da beterraba! Gosto de filmes americanos e lá por isso presumem que sou apoiante do capitalismo??? Pois!

Dito isto, também afianço que não tenho nenhuma preferência pelos lábios da Scarlett Johanssonn, se tivesse um lado gay talvez fosse perdoada, por não entender as "fascinantes" prelecções destes "iluminados", que me iriam tentar convencer que as beiçolas de um tamboril eram muito mais atraentes...

Enfim, também passo bem sem Valium, embora já me tenha alongado q.b.... :)))

Beijocas!

ps - e gosto de te ver de "volta", o que escreves parece-me mais interessante do que a troca de template, por muito bom que possa estar... ;)

Clarissa Barth disse...

Opa, mas eu também gosto de linhas de comando, sou usuária de Unix e, por isto, gosto do MacOS X... concordo com o que falaste sobre a ética de um tempo não poder ser congelada, concordo totalmente. Mas qualquer hora te explico a minha crítica aos "ácidos céticos": a falta total de respeito à natureza humana e `as diferenças individuais, em prol do que eles acham que é a "verdade". (Concordo que em meu post não ficou claro que era esta a crítica, estou evitando deflagrar uma "guerra de blogs" com eles, ha!) Estava com saudades dos teus escritos e comentários, que bom que apareceste. Beijo!

BANDEIRAS disse...

É SEMPRE UMA HONRA VIR AQUI...
UM ABRAÇO

Clarissa Barth disse...

PS: Faltou a piada no meu post! Um físico (física, neste caso) quando corta um salmão, começa assim: "seja um peixe ideal, imóvel, homogêneo e sem cheiro, com uma distribuição uniforme de escamas. Vamos aproximar a sua secção reta por um triângulo isósceles, e a espinha dorsal por uma reta, desprezando as espinhas..." (Acho que foi assim que pensei quando desenhei aquele diagrama, hehehe...) Beijo!

Lord of Erewhon disse...

Bela reflexão, nada de almanaque... ;)

Abraço!
P. S. Para quando sua rubrica directa de Ming n'O Bar?

Mariazita disse...

É muito bom ter vc de volta!
Não vou tecer loas ao seu estilo. É do melhor que se encontra na blogosfera. Você sabe, eu sei, toda a gente sabe, e só um cego pode duvidar...pq não está escrito em Braille.
Avancemos, portanto.
Esses dois sentimentos são. a meu ver, dos mais importantes; mas eu colocaria em primeiro lugar o Amor, como base de todos os outros.
Aquele Amor tipo "amai-vos uns aos outros", entende?
Repare que quem ama desse modo não pode ser desleal nem mal humorado.
Mas como eu sou "amante" por natureza...respeito a sua opinião.

Acerca do link lá na minha Casa, não era link, era um PPS, que tive que retirar (ontem, já depois da meia noite, veja só, por pouco vc não o viu...), porque algumas pessoas me escreveram email dizendo que não conseguiam aceder ao blog.
E como estava mesmo, mesmo, a sair o novo post, retirei o PPS.
No entanto, se vc quiser, posso lhe mandar por email (foi o que fiz ontem à noite, para quem não acedeu). Basta que vc mande o seu email; terei muito prazer em mandar-lho. É muito bonito.
Pode, se quiser, mandar o seu endereço para aqui: maria.caiano@gmail.com

E chega de conversa fiada...

Beijinhos
Mariazita

PS - No meio de tudo esqueci dizer que seu novo look está um must, e a descendência faz jus à proveniência :)
Bjs

gabriela rocha martins disse...

valeu a pena a espera

imaginei que no meio de muitas coisas ,essa mente andava congeminando ... e não me enganei ... valeu ... gosto do novo template .valorizou o blogue

quanto ao post - mantenho.me muito céptica perante o acasalamento entre a filosofia ( mesmo para os hedonistas - ou sobretudo estes )e o bom humor

não dá!



.
um beijo
( regressado? )

gabriela rocha martins disse...

valeu a pena a espera

imaginei que no meio de muitas coisas ,essa mente andava congeminando ... e não me enganei ... valeu ... gosto do novo template .valorizou o blogue

quanto ao post - mantenho.me muito céptica perante o acasalamento entre a filosofia ( mesmo para os hedonistas - ou sobretudo estes )e o bom humor

não dá!



.
um beijo
( regressado? )

gabriela rocha martins disse...

valeu a pena a espera

imaginei que no meio de muitas coisas ,essa mente andava congeminando ... e não me enganei ... valeu ... gosto do novo template .valorizou o blogue

quanto ao post - mantenho.me muito céptica perante o acasalamento entre a filosofia ( mesmo para os hedonistas - ou sobretudo estes )e o bom humor

não dá!



.
um beijo
( regressado? )

Leonor disse...

Oliver, mas o layiut está o máximo, como nós dizemos por cá!!!

e este texto também... vida sem bom humor é chata mesmo! e sem um pouco de bom senso então nem se fala!

que`há pessoas que fazem questão de cultivar uma +posse mais séria, lá isso é verdade, mas dúvido muito que sejam mais felizes por isso... e vale a pena, pergunto eu?

beijos, bom fim de semana!

Rosamaria disse...

No outro dia que vim aqui não tinha fotos das tuas produções. Lindos men
inos!
Avisa quando estiver passando Casablanca no condado, que eu venho correndo assistir.

Bom fim de semana!

Bjim.

Noslen ed azuos disse...

O verdadeiro humor não existiria sem lealdade, é um estado de graça que só os bons sentem; o humor salva sempre os piores momentos e quem tem a ciência de rir de si mesmo esta no caminho de viver de bem com a vida... Meu amigo estava com saudades de estar aqui, sabe por quê: humor meu caro!


Abraçao
ns

M@ disse...

Amig venho convidar você para a minha festa pois o blog Simplesmentemanuela faz 2 anos de vida.
Apareça e leve a lembrança
Beijo
Manuela

Mariana disse...

Atendi tua sugestão e mudei a trilha sonora lá no meu blogue.
Adorei!
Obrigada, Mariana

Claudinha ੴ disse...

Olá Guilherme! O blog está lindo e o texto fala de nossos pré conceitos!
Bem sobre o meu caso, eu entendo um pouco de html e xml sim, há cinco canos trabalho com isto e sua sugestão seria ideal para iniciar os seguidores. O caso é que os seguidores já haviam sido adicionados e sumiram dos blogs amigos. Eles continuam como adicionados (pela ferramenta óbvia, que como você, explico no início do post), mas figuro como seguidora anônima para meus amigos. E eles para os seus.
Tal fato se deveu à associação do Blogger com o Google Friends e embora não precisemos nos associar, estamos associados querendo ou não. Assim como o Google pescou o Blogger, youtube, picasa etc.
Entende agora, porque tantas voltas? Meus amigos Sobreira e Nilson que são pessoas de outra geração, têm dificuldades de entender isto. Queixaram-se e tentei fazer um post para eles e outras pessoas que não entenderam porque o gadget seguidores estava sumindo toda hora e não aquele do painel.
Entendeu-me agora?
Beijo!

isabel mendes ferreira disse...

a espera é sempre recompensada!!!!!!!



"tou" de alma regressada....:) e arejada...
e encantada e e e

volto....

tenho de ir ali. mas volto. mesmo!!!!!

olá meu escritoR!!!!


(especial)

isabel mendes ferreira disse...

e as suas "produções" são COMOVENTES!!!!!!!


. tanto.
. mas tanto!!!!!

.

beijoooooooooooooooooooo.

JC disse...

Oliver vale sempre a pena esperar pelos teus textos. Sempre escritos de uma forma meticulosa, com mensagens bem dirigidas e de um conteudo muito rico.
O amor, talcomo dizes, é o mais belo sentimento da vida
Quando vivemos o amor na sua plenitude sentimos bem connosco, sentimo-ns pessoas mais alegres, com mais vontade de viver. De viver com intensidade e com a alegria de como se fosse o primeiro amor.
Um abraço

Adriana Costa disse...

Para você... Blog Aprovado

http://versosbarbaros.blogspot.com/2009/02/selo-blog-aprovado-os-7-pecados.html

beijinhos

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO OLIVER, AO TEMPO QUE NÃO VEMOS (PELOS DEDOS). O TEU BLOGUE, ESTÁ LINDO... O TEXTO COM AQUELA QUALIDADE FANTÁSTICA QUE É APANÁGIO DO TEU ESPAÇO... UM GRANDE ABRAÇO DE SAUDADES,
FERNANDINHA

tossan disse...

Aida bem que voltastes, Com uma ótima narrativa sobre o humor.
Curti a tua música que é muito boa e bem tocada. Abraço

ex-controlador de tráfego aéreo disse...

Olá grande Guilherme!

Agradeço os comentários sobre os textos e esclareço que às vezes escrevo como se fosse uma música mesmo, o que não é o caso do texto comentado.

Bem, vou seguir o conselho do teu blog e me juntar aos bons na tentativa de, pelo menos, aprender a adquirir bom humor.

Teu texto começa com uma pergunta que nos chama ao pensar. Respondo que a tão propalada tolerância é uma forte candidata à briga pelo título de melhor atributo da natureza humana. Penso que ela pode nos propiciar o tempo necessário para, "sem preconceito", descobrirmos nuaces de interesse ao bom convívio e o despertar de sentimentos nobres como, por exemplo, a confiança, que leva à lealdade e a tudo quanto isso crie ou venha a criar na medida em que se fortalece a primeira. Afinal, a confiança também é prática e, para mim, pressupõe reciprocidade.

É instigante ler aqui.

O layout é agradável e harmônico.

Um abraço fraterno!!!

Daniel Silva disse...

Decididamente você escreve muito bem ;)

Vou passar a incluir este blogue nos meus de leitura obrigatória ;)

Mas nao se ausente muito ;)

Abraço deste lado do AtLântico ;)

Daniel

Menina do Rio disse...

Bela descrição do amor como ator coadjuvante! Tens razão. Ele as vezes rouba a cena, mas nunca termina com a mocinha...
A lealdade e o bom humor são FUNDAMENTAIS, posto que nem mesmo o Amor sobrevive sem lealdade.

O Condado está muito bonito. Eu não uso o Firefox. Prefiro o GChrome e não tenho problemas, a não ser com alguns blogs que só abrem bem pelo IE

Deixo-te um beijo

isabel victor disse...

"O bom humor é o mais camaleônico dos estados de espírito, pois que harmoniza com quase todos os outros sentimentos próprios da natureza humana, potencializando-os para melhor. Se associado à tríade otimismo, vida espartana e cartesianismo doméstico, é o nirvana da vida prática, sem complicações"


________ :)) um sorriso



des.complicado



(sempre tão interessante, Oliver !)





beijo


iv

Sandra Daniela disse...

Olá! Gostei do layout! Voltarei para ler com mais calma... Mas não podia ir dormir sem antes ir agradecer a tua visita e comentário! ... :-)

Com que então no Afeganistão? :-))
Obrigada!

Tio Rogs disse...

Estive numa situação parecida, quando convidei uma Auxiliar de Direção de Cinema para ver um filme. Ou melhor, ela me convidou. Enfim, fiquei constrangido depois que ela, aos berros, disse que o som não estava bom. Gritava a todo volume: "O SOM! AUMENTA O SOM, PO!!" Mau humor? Intolerância?
Que nada, lealdade.
Ai que a mantive e gritei junto: "Aumenta esta merda, ou eu mato essa guria!"
Vc escreve muito bem, digno de ter uma coluna nas melhores revistas, substituíndo alguns malucos mau humorados por ai.
Abração

Rafeiro Perfumado disse...

Por acaso eu ia responder que a melhor característica do ser humano é que cada um de nós ia dar uma resposta diferente. Quanto à mocinha, quase me apetece dizer que o problema dela era falta de peso... ;)

Abraço!

Andreia do Flautim disse...

Uma boa semana para ti!

Colombina disse...

Adoro cinema, mas detesto cinéfilos xiitas, gente mal humorada, pseudo-intelectuais, filosofia, comunistas e coisas do tipo.

Mas na veradde vim aki pra te dizer que vc eh um gênio. Não sei como consegui viver até hoje sem perceber que um Yakssoba nada mais é do que um miojo cheio de coisa dentro.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

AMEI!

Grande beijo.

manzas disse...

É bom estar aqui presente
E ler o que bem escreve…
Deixar fluir o que nos passa na mente
E reflectir palavras
Que tanto me apraz,
Deixando o animo leve…

Um resto de um bom dia…

O eterno abraço…

-MANZAS-

Cleo disse...

Olá Oliver, adorei o novo layout, apesar de achar o antigo muito lindo, este novo carregou rapido, melhor que o outro. E o texto, minha nossa, vou voltar depois prá ler tudinho de novo. Por enquanto beijos carinhosos e até mais.
Cleo

Paula Crespo disse...

Ó meu caro Oliver, com que então cinéfilos xiitas!! :):) Muito bom, mesmo! Olhe que aqui a "Je" gosta bem de cinema alternativo e nem por isso se acha xiita (OK, deve de ser do bife e de tudo o resto que ajuda a animar a vida! :)
Seja como for, se o bom-humor é a característica de destaque dos humanos você certamente que caiu no caldeirão quando era pequenino, qual Obelix afortunado!! :)
Beijos (nao xiitas... ;)!!

Paula Crespo disse...

Ah é verdade: parabéns pelo novo layout (estou a visualizá-lo com o Internet Explorer, mas mesmo assim parece-me bem...)
Bjs

SAM disse...

Aheeeeeeeeee! Bom retorno! Eu estava sumida com quase 3 meses de ausência..E ainda assim senti sua falta quando vez ou outra matava saudades dos amigos. O layout também está super...Você é cabeça, tem bom gosto e é caprichoso.


Concordo inteiramente quanto os valores e a sua concepção dos mesmos. Embora nem sempre esteja neste estado de nirvana rsrs. Mas sou como criança, basta uma guloseima ou uma rapadura macia que abro um sorrisão de felicidade. E se quiser manter a determinação do meu mal humor eventual, tenho que abster-me de ligar uma tv e ver uma comédia ou humorístico. Até mesmo usar o computador o, ler um jornal , atender um fone ou conversar com alguém. Esqueço com facilidade que estou mau humorada e colocaria em risco a minha intenção de manter minha seriedade.

Quanto ao livro da mocinha...Combinou certinho com o " estilo"!Schopenhauer na cabeça! . Um excelente modo de afastar mal humorados ou chatos foi descoberto de forma ocasional. Meu “cearenso” não fuma, mas eu sim. Quando cercados ou ameaçados por uma eventual aproximação, ele acende um cigarro. E o “ fura bolinho” é imediato. Só funciona em locais que ainda se pode acender um cigarro, claro.

Mas a pergunta do valium eu faço sim! E procuro tê-los para eventual necessidade própria e porque a procura é intensa . Sou precavida e solícita com amigos e parentes ( estes, principalmente).


È isso, Oliver! Amei, como sempre, ler seus textos! Beijos!


PS: Lindos, os meninos! Parabéns!

Olhos de mel disse...

Meu lindo amigo e conterrâneo, passando para lhe ver e deixar beijinhos...

Deusa Odoyá disse...

Olá meu estimado amigo Oliver!!!
Parabéns por sua volta.
Continuas o mesmo contador de histórias lindas e com um humor sem igual.
Passei para desejar uma semana de muita paz, amor e luz.
Beijinhos doces, meu amigo.
Regina Coeli.

Germano Xavier disse...

Grande, Oliver!

Bom ter você de volta.
E a casa está com o telhado reformado.

Li o texto e fiquei encabulado.
Sem amor, há lealdade? Há bom humor?

Continuemos, meu camarada.
Abraço forte.

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Estou feliz com sua volta.
Seu texto é um arrazo, já vivi situação assim.
beijos

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Estou feliz com sua volta.
Seu texto é um arrazo, já vivi situação assim.
beijos

pin gente disse...

bem, oliver, que dizer!
a tua tríade contagiou-me... comecei por sorrir e terminei com uma boa gargalhada. o texto está uma obra plena de humor... até nas vírgulas (que ainda fazem mais cócegas).
eu também concordo que o bom humor ajuda em tudo, tudo... até no amor e no amar.

um beijo divertido
luísa

Vieira Calado disse...

E no Firefox que estou a vê-lo e muito apreciei o seu texto.


Um abraço

Å®t Øf £övë disse...

Pickwick,
Parabéns pelo novo visual do blogue. Gostei deste layout.
Abraço.

Rodrigues Bomfim disse...

Olá amigão!
Boa volta!
Obrigado pela presença no blog.
Muito bom teu texto, como sempre.. nota 10, do começo ao fim..E viva o bom humor!

Ficou legal o novo layout...mudar, renovar é sempre bom.

Abração e boa semana.

Ju disse...

há! saudaes daqui! adorei o layout e os filhotes fofos!
beijos
: )

C Valente disse...

Gostei muito do texto, ainda bem que por aqui passei,
Saudações amigas

O Renascimento da Vênus - Mamafrei disse...

Vc está no "caminho certo" de saber TUDO sobre o NADA. Mas quando chegar "lá", por favor , desvie-se desse caminho e esteja sempre a procura de um outro...o NADA desvia-se como raizes de rio em meio a tantos obstáculos - tudo para para se encontrar com o "mar".

Obrigada pela visita.

bjos, Mamafrei

Zé do Cão disse...

Meu bom amigo Oliver.
Peço muita desculpa, mas só agora reparei que tinhas perguntado o que era
Casa de "rés do chão"
Cá vai a resposta.

"rés do chão" é uma casa térrea, casa que não tem andar por cima.
Não se trata de um vocabulário local.
A nível nacional é assim que se diz.
Sempre que queiras, podes fazê-lo para o mail:
Sargentonoactivo@yahoo.com

Um grade abração

Lampejos disse...

Oliver,

Com bom humor sempre encontraremos o caminho mais fácil.

‘na passarela da minha mente há um desfile de ...cores

..do teu belo texto!...

Fico feliz com a tua volta:-)

(a)braços,flores,girassóis:)

O Sibarita disse...

Ó Deus! kkkkkk Dai-me inspiração, o que é que eu um pobre mortal, rato da Sala Walter da Silveira( Biblioteca Central) da Sala de Arte/Cinema da Ufba e até da Sala de Arte/Cinema do MAM vai comentar? kkkkkkkk

Ô meu véio, você quer que eu coloque a minha CABEÇA A PRÊMIO, é? KKKK Coloco não! kkkkkkkkkkkkk

Ao certo, eu vou, gosto de cinema de arte, mas, você tem razão! Oxente, parece até que sou camicase, eu faleî, foi? Tá vendo você, eu tenho humor mesmo indo para a forca e ai? kkkkk

Me diz estou sendo desleal ou leal com os cinéfilos radicais? Tô? Ai Jesus! kkkkkkkkkkkkkkk

Oi como rio muito e dizem que tenho bom humor, (você acha o que? -Como? -Tá bom, diga não! kkkkk) e já sou conhecido nas salas, os radicais, já me recebem com esparadrapo na mão! kkkkkk -Para que? -Ôxi! Sabe não, é? kkkk Para colocar na minha boca durante a sessão! Assim evita que eu faça uma piada, ria! kkkkkkk Eles(as) todos (as) canracudos (as) não dão nem uma risadinha, sacanagem! kkk Por ai seu texto tem tudo haver, né não? kkkkkkk

Valha-me Deus, vou me lenhar!kkkkk

Ah, o amor, sim, ele o amor, olha que esparro! kkkk Ontem, assisti na Sala de Arte/Cinema da Ufba. o filme "NINHO VAZIO" agora, me diga, eu tenho condições de falar do amor? Falo não véio!kkkkkkkkkkkkkkkk

Quanto a lealdade, nos dias atuais tem disso? Mas, tô procurando... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Caro Oliver, tá muito do porreta seu texto, eu acho um dos melhores já escrito por você sem desmerecer os outros é claro que são excelentes também! Tá vendo que tenho lealdade com o nobre amigo?

Ei, não tô puxando seu saco não e, pelo amor de Deus, não me diga que sou Urtigão não,viu? Me tire desse samba! kkkkkkkkkk

Sei não, na matemática pura, eu sigo a lógica no movimento phi sem confundi-lo com o movimento beta! Ou quem sabe ao número 1,618... chamado também de phi e identificado como a Divina Proporção. kkkkkkkkkkkkk

Oxê! Virei matemático, foi? kkkk Mas, no caso, melhor voltar ao século XIII, e chamar Leonardo de Pisa, também, conhecido por Leonardo Fibonacci.

Ai Senhor do Bonfim! kkkkkkkkkkkkkk

Oliver obrigado pelas sempre bem vindas palavras no Sibarita, tem razão quando fala da Banda Chiclete Com Banana, ela já era! kkk Coloquei lá para que os fãs da Chiclete que são muitos pelo Brasil afora se sentissem em casa.

Caro amigo, desculpe esse jornal que fiz, você é gente boa e não vai se retar, vai? kkkkkkkkkkkkkkk

Tem um valium ai véio! kkkkkkkkk

abraços,
O Sibarita

GarçaReal disse...

Teus textos sempre com uma versatilidade e um abarcar da atenção para quem os lê.
São momentos em que o espirito absorve o que tão bem transmites.

Adorei

bjgrande do lago

lobices disse...

...Oliver: grato pela visita
...um abraço

nuvem disse...

Pois eu acredito que o melhor atributo da natureza humana é mesmo o amor. Ele brota mesmo sem ser plantado, sorri mesmo sem alegria, canta, mesmo sem voz.

É bom ter-te de volta e sempre com escritos de grande qualidade.

Beijinhos

isabel mendes ferreira disse...

errata:



o poderoso mora aqui!




___________________suculento e no regaço de um torvelinho de ideias.


beijooooooooooooooooo!!!!!

BOTINHAS disse...

Amigão
Acreditas que concordo contigo em género e número?
Esses palhaços que “recuperam” bancos falidos à conta do Zé Povinho, bem que podiam mandar algum cá p’ra nós, não é mesmo?
Mas isso só vai acontecer quando as galinhas tiverem dentes.
Entretanto, vamos fazendo por sorrir…
Abraço fraterno
Botinhas

BOTINHAS disse...

Amigão
E é com cada perfeição!!!
Eu cá passo a vida a comprar óculos, mas ainda não descobri esta loja…
Por acaso não sabes onde é que é, não?
Abraço fraterno
Botinhas

Mary West disse...

Ahhhhhhhhh estás de volta amor????? Que bom!! Adorey o texto, mas digo que não sou tão cinefila assim. Prefiro os clássicos a ter que ver os ultimos lançamentos.

Cristiana Fonseca disse...

Olá Oliver,
O blog belo , a escrita sublime, perfeita me torna repetitiva.
Pouso meu olhar aqui e me demoro.
Abraços,
CrisFonseca

b disse...

Troupe, panela, panelinha é coisa de gente inflexível e gente inflexível só pode ser infeliz mesmo.
Não sou intelectual, mas entendi e gostei do seu texto por demais e dou parabéns.
Só gostaria de acrescentar: sou flexível, tenho senso de humor,e tomo calmante.
Nem sempre o que é , parece e nem sempre o que não é não parece.
(Não disse nada né?)

Fátima disse...

Meu grande AMIGO!
Algumas dificuldades desta vida, fizeram com que eu estivesse ausente, mas agora já está tudo mais calmo. voltei para a companhia dos meus prezados amigos.
Voltarei para comentar este "post".
Obrigada
:-) abraço

Avassaladora disse...

Vim conhecer o "Melhor Blog Sobre Nada", e me surpreendo...rsrsrs
E se fosse "Sobre Tudo"???
Não caberia nesse espaço...rsrsrsr
Vc escreve demais, meu rapaz!
Parabéns!

Beijo avassalador!

Nilson Barcelli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nilson Barcelli disse...

Para quem escreve com a classe, como é o seu caso, o layout é importante. Porque se ele for mau, a página lenta, etc., quase ninguém lê o que vc escreve.
O que é pena, pois os seus textos são para ler mesmo.
Mesmo assim, há leitores que persistem em comentar sem ler (vi alguns aqui...), o que é desagradável para quem dá o seu melhor.
Gostei do seu novo layout, mas não foi isso o que me levou a ler o texto... rsrs...
Eu acho que nunhum atributo se destaca, antes o conjunto deles é que torna o Homem quase inimitável na Natureza.
Mas concordo que o humor, ou a falta dele, é decisivo para o estado de espírito das pessoas, com uma influência significativa em diversos aspectos, nomeadamente na saúde.
Caro amigo, bom fim de semana para vc.
Abraço.

Dauri Batisti disse...

O visual ficou muito bom. Muito legal mesmo. à altura do que você escreve. Parabens.

Um abraço.

Ps.: obrigado pelos comentários no essapalavra. Sua opinião é de peso.

Tchi disse...

"Esculpindo", sempre, no silêncio para oferecer maior beleza.

Tanta.

Parabéns pelo novo "look".

Beijinhos.

Å®t Øf £övë disse...

Pickwick,
Desejo-te um bom fds.
Abraço.