UIVANDO PARA A LUA - Parte 2


Retirado para futura publicação em livro.

92 comentários:

Lu disse...

Caro Oliver...
A magia e o encanto de momentos iguais a esses, que nos levam a emoções fortes em mais tenra idade, marcam profundamente...Tal como se tudo parasse nesse momento e de forma intensa vivemos em busca que esses momentos se repitam ao longo de nossa vida.

Rindo ao ler tudo que descreveu...Pois sei exatamente quais são essas sensações, em que faltam palavras e que nem se sabe na verdade o que se dizer. Mas falar pra que? a emoção vivida, já é um o mais belo poema, ou quem sabe a mais bela de todas as canções.

Um ótimo final de semana.
Beijo!

Mai disse...

Que delícia este "nada" escrito. Uma mescla de reações, sentidos, significados. É um nada-escrito com tanta riqueza que entrei na cena e viajei no tempo, do nada quase real. Vou te confessar uma coisa: de tão real, eu quase ví a acirrada "...disputa da primazia da timidez..." :)
Voltarei para a parte 3
Eu não perderei, por nada.
Abraços.

Cleo disse...

Se este é o "melhor blog sobre nada", hum... que será o nada?

estou deveras encantada com a supremacia da tua louquaz dinamica da palavra.

Bravíssimo prá você!!

voltarei para o capítulo3.

Beijos e excelente final de semana.
Cleo

Teté disse...

Hummm... já te estavas a sentir reinadio, quando a T. finalmente descobre que o "nenê", da altura ou mais alto que ela, afinal já não era assim tão incólume à sua sedução...

Com tanta timidez (e ingenuidade) de parte a parte, podia nem ter havido romance nenhum, mas que o coitado do Carlinhos apareceu num momento inapropriado, ninguém duvida! Tinha o cavalo a mais que faltou a Ricardo III, embora disfarçado de Pinguim, eh, eh, eh!

Mas será que o romance acabou por aqui??? E qual era a surpresa de Z., após a sobremesa? Vou aguardar ansiosamente as cenas dos próximos capítulos...

Até lá, fica bem!!!

Beijoca, Oliver! :)*

bat_trash disse...

Há momentos em nossa vida que gostaríamos que fossem congelados, e este certamente é um deles para o protagonista.
Aguardo ansiosamamente pela 3ª e última parte.

Bat Kiss.

bat_trash disse...

Errata: para os protagonistas.

Cleo disse...

Oliver, obrigada pelo poema-presente. Magnífico!
Gostaria de postá-lo no meu blog, na lateral, onde guardo os mimos recebidos. Mas como já retiraste para posterior publicação em livro não sei se devo.
Caso possa, como coloco a autoria? Oliver Pickwik? Ou outro nome?

Seja sincero.

Um esplêndido fim de semana prá ti.
Beijos da guria por trás do leque.
cleo

TOOP disse...

Nossa. Lí este com uma tremenda vontade de ler os outros.
Mas por agora vou ler os que passaram para me manter apar dos acontecimentos da narrativa...

*pois é...voltei, o tempo já curou algumas coisas por aqui ;)

AnaLua disse...

Sinto neses 2 posts um quê de ternura, como não senti nos outros posts. Estes são diferentes... mais pessoais eu diria. Gostei muito.

Caro amigo, andei sumida pq estava de luto. Ainda estou, mas já bem melhor. Bjos!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Oliver, belíssimo texto... A D O R E I ... Boa noite!
Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Paula Crespo disse...

Não há dúvida que o culto da mesa sempre foi parte decisiva na história da Humanidade... ;) Mas daí a que eclipsasse o momento fulgurante do despertar das hormonas, tal nunca terá ocorrido ao mais livre pensador. Tinha de chegar a sua hora, Oliver! ::)
Beijo!

Cristiana Fonseca disse...

Olá Oliver,
Bela escrita, belo texto.
Oliver, tu escreve muiiiiiitooooo bemmmmm.
Ainda hei de ler teus livros , com certeza.
Abraços,
Cris

cassamia disse...

ler-te é sempre absolutamente fantástico... espero pela 3ªparte
kiss

Sunshine disse...

Olá Oliver!!

Evitei as especulações, esperei a continuação como recomendaste e valeu a pena... que momento tão delicioso o que descreves. Despertar de sensações, calor, frio ... a terra que gira e a música de Strauss .... que magia.

Pena que o Galo Cego tenha interrompido. Será que se perdeu um grande romance ... Hummmm acho que nos vais, uma vez mais, presentear com um "The End" ao teu jeito.

Bjs

PS: Ah!! Obrigado pelas palavras. Quando mencionastes os Túks e os Dunedains relembrei um coment teu, em que referias que estavam prestes a entrar uma caravela e partir além mar, devido à minha ausência prolongada. Soube bem nessa altura, e sabe bem agora :)
Duplo Beijo

Menina do Rio disse...

De cá imaginei-te a carinha de menino congelado, rs...
Meu reino pra que volte a ternura dos velhos tempos!

Um beijinho meio tímido no teu queijo

Carol Barcellos disse...

Às vezes, um quase, um se e um talvez consegue ser tão delicioso quanto o tudo...de onde vem o mistério desse sabor agridoce?
Gostei tanto dessa parte 2, que cheguei a sentir meus pés sairem do chão. Lembrei de momentos em que já fui desejada por tímidos, e tive a sensação de que eu era a coisa mais linda desse universo por causa apenas de um olhar, e nunca entendi que poder era esse que emanava de um só olhar, de uma só palavra escrita... Era mesmo uma briga de poderes, e não havia perdedores. Os tímidos são mesmo relíquias da natureza, indispensáveis para todo exemplar do sexo feminino com bom gosto.
Já ansiosa pela parte 3...

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o>

P.S. A Rosa está em festa, pode chegar a hora que quiser, a luz estroboscópica já está a todo vapor... Obrigada por ceder uma cópia do arquivo de pérola...

f@ disse...

Gira a terra enquanto em mágicas viagens deslumbram as próprias emoções…
Tal como tu fascinas com estes contos tb de admirável… notável sabor e magia….
Beijinho das nuvens

Mariana disse...

Amigo, vim lhe beijar e desejar a vc um belo domingo.
Beijo

tossan disse...

Belo texto esta segunda parte também. Estava a olhar estas fotos ao lado e achei o máximo este teu lado medieval! Abraço

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido Amigo Oliver, votos de bom Domingo... Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Carol Barcellos disse...

Já está tudo ok por lá, hehehe...

Menino, eu já estava achando que não ia conseguir fazer, porque mudei várias vezes a largura, exatamente como vc me ensinou, ia salvando e nada conseguia. Mas, aí que fui ver que os tais priminhos "weight" e "height" aparecem duas vezes! Depois disso, consegui resolver o problema tranquilamente.

É bem simples mesmo, mas aos olhos de quem nada entende dessa linguagem "javística", parece mesmo grego. Por isso, nada como ter um bom professor para tornar as coisas possíveis e compreensíveis.

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o>

P.S. Deixei respostas nos 2 comentários.

BlueVelvet disse...

Exactamente quando começou seu poder de sedução?
Quando ainda usava fraldas e todas as bábás sucumbiam aos seus encantos?
E que ideia de chamar alguém de Galo Cego. Sorte sua que ele não era sapateiro.
Vou esperar, aliás como todos nós, pelo desfecho desta história, que claro, não será nada do que imaginamos.
Nunca é em suas histórias.
Beijinhos

heretico disse...

não sei qual mais aprecie - se a citação de Galileu se a de Shakespeare...

... espero que te "vingues" no arroz doce da sobremesa... da senhora Z para não ficares completamnte em jejum.

excelente, meu amigo.

Leonor disse...

Há sempre alguém a cortar clima!!! mas que isso aconteça logo aos dize anos, já é azar... vamos ver o que a sobremesa nos traz

beijos, boa semana

Lu disse...

Entendo e aprovo tal procedimento. Até porque é esperado na ocasião, ações justamente com as emoções. Ainda bem que os meninos crescem e superam a fase de paralisar e perder a fala.
Beijo, caro amigo!


P.S.: A elementa devidamente avisada, por certo já entrou em contato.Planejamento de férias, tomam tempo. Cambio e desligo. ;)

São disse...

Enfim, lá se foi o romance por água abaixo. ou melhor, por sobremesa fora.
boa semana, caro Oliver.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Oliver
Duma beleza comovente, este enleio da criança que desperta, com a adolescente madura nos sentidos.
Os teus textos, que nos imprimem o saudosismo pelos velhos livros de paraísos perdidos, vão sendo mais ternurentos e abertos à emoção.

Abraço

Jo Bittencourt disse...

Sem trilha sonora???

Aff, já fiquei mal acostumada, ou melhor, muito bem acostumada.

hummm, boa a sensação do texto.

beijoca, Oliver!

maria josé quintela disse...

deliciosa esta descrição!



mas dadas as circunstâncias...



eu apostaria mais na sobremesa!


:)))


beijo oliver.

LuzdeLua disse...

Ainda bem que temos a parte 3...
Romance nao se pode perder

Passando para te ler, deixo aqui um abraço amigo e bons desejos pra semana.

Etelvina disse...

Olá,

vim do blog do Sibarita para te conhecer. Voltarei mais vezes.

Muito lindo seu blog.
Parabéns pelos textos.

beijo

Nadezhda disse...

"Um jejum! Meu reino por um jejum".

E eu que já perdi o meu por menos! (mas o reino nem era tão importante assim).

(Pra mim o título do seu blog é "O Melhor Blog Sobre Tudo!).

;)

gabriela rocha martins disse...

decidida
MENTE


és ÚNICO
e uma precios idade criativa

( reservo.me ansiosa pela 3ª parte )




.
um beijo

Gin e Rum disse...

Saudações meu caro!
O bar está em processo de reformulação, por isso a demora...

Pra variar, mais um ótimo post...
Nostalgia intensa invade-me o ser ao lembrar dos meus tempos de fazenda quando criança... quem nunca passou uma temporada em meio a um paraíso bucólico não sabe o que está perdendo...

Temos uma canção sulista que diz, a respeito dos campos, que "...aqui a verdade ainda reside em cada alma, se aperta firme quando alguém estende a mão...". Creio que esta é a idéia destes 'povoados' distantes... uma fraternidade intensa.

Aguardo o desenrolar da sua epopéia!

Apareça lá no bar e sirva-se à vontade!

Um drink. Aos campos...

Rum.

BlueLightSpecial disse...

Vou ter que esperar pela parte três?
Aiii Pickwick que és mau!
Ler-te leva-me longe, é uma delícia!
Esperarei então...
Beijos meus***

Andreia do Flautim disse...

Uma boa semana para ti!

luma carvalho disse...

olá, passando pra retribuir a visita... teu blog é muito bonito!

abraços

luciana
luma
lua

gabriela rocha martins disse...

reinventas.TE em cada nova narrativa




.
um novo beijo ( no princípio da semana )

antonio - o implume disse...

Existem jejuns que são feitos de encantamentos...

Dri Viaro disse...

amei Oliver, vc escreve tão bem, queria ter este dom

bjao

Noslen ed azuos disse...

‘ Um jejum! Meu reino por um jejum” é genial! Muito bom!! Rsrsrsrs. Acabei lendo a primeira e a segunda, porém falta as próximas...Também tive contato com o interior, de Minas gerais, ia sempre nas férias e lá vivi muitas histórias...’cara’ qual razão de termos tantas primas, estas todas bonitas, viçosas e outras coisas “Deus é perfeito”.Como comia bem nas fazendas e o melhor de tudo a noite era iluminada pelas estrelas e lamparinas, dormíamos em colchões de palha (de milho) e de manhãzinha os beija-flores entravam pelas janelas para nos acordar.

Obrigado pela recordação. Mudando de assunto e o ‘seu livro’, existe um projeto, se sim o meu quero autografado!

...outra pergunta: já leu ‘Tocaia Grande’ de Jorge Amado?

Ah outra coisa minha foto do post ‘acaso’ é daquele jeito mesmo, obra do acaso.

abração
ns

hora tardia disse...

o meu encanto é sempre revisto e aumentado pela continuação do seu "contar".



surpreendente,


de tão ecletico.



o meu abraço.

Å®t Øf £övë disse...

Pickwick,
Há momentos que nós gostariamos de perpetuar no tempo, e torná-los eternos.
Abraço.

vida de vidro disse...

Que evocação deliciosa desses momentos de pura emoção. Nunca mais lá voltamos porque nunca mais somos assim, transbordantes de timidez e ternura. Quero a parte 3, pois! :)**

GarçaReal disse...

Descrição fantástica daqueles momentos de enorme envolvência.

De certo uma experiência que ficou gravada em ti para a vida inteira.

Mas será que ainda houve algo mais?

Bem vamos esperar o seguimento

bjgrande do lago

impulsos disse...

É por causa destas histórias simples e despretensiosas, contadas de uma forma magnífica como nunca o li em mais ninguém, que gosto de te visitar Oliver. És um verdadeiro mestre na arte de contar histórias, fazendo-nos viajar ao sabor das tuas palavras e remetendo-nos para esses lugares e para esses tempos em que tudo acontecia...
Uma maravilha!

Beijo

Iana disse...

Ola meu caro

Quem sou??? heheh apenas uma rosa amiga a viajar no mundo virtual... sai do meu jardim florido e navegei até o cantinho amigo do nosso amigo pantaneiro Zé, e cheguei até aqui vindo de lá...

Adorei seu texto, mas para entende-lo melhor voltarei para ler a 1ªparte :)

Pra já volto em breve me espere..
beijos da rosa amiga
Iana!!!

Cöllyßry disse...

Querido amigo, és o melhor contador de histórias que li até hoje neste mumdo de blogs,o encanto a sedução que sempre envolves,é simplesmente adoravel, e este momento é magia pura...Grata por seres quem és...

Doce meu beijo

Tem presentes...


ölhår_Îñðîscrëtö...Å ¢µ®¡ö§¡dädë

Mary West disse...

É incrivel como nos seus textos, tantas suposições tornam-se belas. Na vida real naum é assim. ;)

hora tardia disse...

50.






obrigada......espartano....:)


beijo.

C Valente disse...

Cada vez mais interessante, vamos acompanhar o desenrolar
Saudações amigas

Desnuda disse...

Que meigo! Dizem que Deus protege os bêbados e as crianças....Mas que raio foi esse de proteção! Foi um anjo mau! Uma invasão imperdoável nesta hora tão bonita e pura...Bom, vamos ver ser na próxima etapa o anjinho cupido esteja de plantão pra dar pelo menos uma flechada no cavalo do Carlinhos Galo Cego. Bonita recordação, Oliver! Estou amando o texto.

*Obrigada pelo comentário. Hoje perdi o vôo pra Natal( e acordei as 4 da matina!)...Teria que ir pra Salvador..Voltei rsrs. O cearenso foi só, tadinho...esperou horrores no aeroporto daí..E cheio de fome! Pra ele, tudo por uma cantina! hahahahahahaha


Beijos!

Carla Silva e Cunha disse...

ola

voltei para dizer que a originalidade do seu blog me agrada muito...continue.

também quero agrader a visita e o comentario tão elogioso.

ja agora tem algum quadro preferido?

Vejo que tem como ocupação lei e direito, eu sou advogada.

Muitas felicidades

carla

http://www.arte-e-ponto.blogspot.com

Carla Silva e Cunha disse...

e no que acharia de 1 quadro meu numa casa desenhada por si?

SAM disse...

Ah, doida pra ver a próxima parte! Esta foi mesmo linda. Beijos!

Rafeiro Perfumado disse...

Um dos meus desgostos é nunca ter namorado com uma mulher que tivesse como nome apenas uma consoante, como T ou mesmo D. Aí sim, uivaria de prazer! ;)

Abraço!

MOON BABY disse...

Olá
acabei de ler teu comentário sobre minha poesia. Fico grata. Não tenho tanta habilidade quanto a nossa querida Pettit, nem tanta quanto tu tens com as palavras e a imaginação. Gostei muito dos teus textos. Se publicar, vou com certeza querer saber.
Um bj grande
Moon

Filoxera disse...

Que condão para contar histórias! Bem, resta-me esperar pela continuação. Sem especulações...
Beijos.

Dona Sra. Urtigão disse...

Olá,
O que sempre nos toca, a partir de voces, Senhores das Palavras, é esta possibilidade de falando de um cenario particular, com personagens idem, tocar universais que habitam a historia de cada um de nós, feitas as necessarias adaptações
Um abraço. aguardando ansiosa,
Sra Urtigão

bat_trash disse...

Cadê a 3ª parte?
:)

Desnuda disse...

Houve sim...Um seríssimo problema...O PENTE E A ESCOVA de cabelos voltou comigo kkkkkkkkkkkkkk. Isto para um " cearenso", é um fato terrível e bastante lamentável! É tradição o pentinho que eles adoram carregar e o cabelinho todo arrumadinho, escovadinho e a preocupação com o topete. Nunca vi um " cearenso" despenteado! Já viu? Daí que jejuar foi menos pesaroso do que ficar sem o pente...Rsrsrs


Beijos!

Desnuda disse...

Mais que um post! Seria um verdadeiro tratado de identidade cultural sobre o nordestino: O topete. Basta ver a TV Câmara, Justiça ( com exceção da classe musical que quanto mais desgrenhados, maior é o identificador da origem do artista)....As maiores autoridades nordestinas e seus cabelos impecáveis! Às vezes, uma franja disfarçada com um spray. Outro estilo bem comum ( adotado pelo meu " cearenso") tipo um capacete , cuidadosa e estilosamente penteados para trás, tendo como charme o volume, que concordo seria um truque para disfarçar a estrutura craniana nordestina.Um capítulo interessante seria a tintura usada. Alguns, querendo aparentar uma jamais naturalidade, com realces estratégicos nos grisalhos ( posto que o restante nota-se claramente a tintura negro graúna). Outros, um acajú no melhor estilo " burro quando foge" ( ou seria jumento?). Esta seria uma pesquisa relevante da etnia do nordestino que abrangeria curiosamente todas as classes sociais. Praticamente um ponto unificador de classes. Isto é um fator interessantíssimo a ser estudado. Detalhes que contribuiriam para uma sociedade mais justa.

Beijos, grande observador Oliver!

Å®t Øf £övë disse...

Pickwick,
Como costumo dizer...

.....oooO.............
....(....)....Oooo....
.....)../. ...(....)..
.....(_/.......)../...
.............. (_/....
... PASSEI POR .......
.......... AQUI ......
......................


Abraço

Gerlane disse...

A expressão da tua intelectualidade misturada em teus textos, Oliver, sempre os torna excessivamente atraentes e dinâmicos. E isto é fantástico!

Beijos!

T disse...

Isto que é inspiração!

Ju disse...

hahaha... que delícia de história! tua escrita é mesmo muito envolvente! Agora vamos ver o desfecho! e teus romances sempre levando à aventuras... amei a daptação de Ricardo III!
beijos!
:)

Colombina disse...

É uma pena que estou no trabalho e não vou ter tempo para ler os dois textos...
Mas ainda vale elogiar o visual do blog, não é?

rsrs....

Está de parabéns.
E obrigada pelo elogio...

Manuela disse...

Neste maravilhoso texto vê-se bem onde a sua imaginação o pode levar a escrever tão lindo romance.
Poderia até ter escrito a minha história preferida de sempre"O Monte dos ventos uivantes".
Quem sabe?
A sua escrita é sempre apaixonante.
Tenha muita sorte amigo você não existe é um ser de Luz.
Beijo de carinho
Manuela

FLAMENGUISTA ROXO disse...

OLÁ MEU AMIGO O MEU BLOG EU NÃO CONSIGO MAIS ENTRAR COM A MINHA SENHA.
SE VOCÊ QUISER ME LER ESTOU NESTE BLOG É O MESMO, EU SÓ COPIEI OS TEXTOS.
BEIJOS A PAZ DE CRISTO E O AMOR DE MARIA

Gabriele Fidalgo disse...

Em primeiro lugar, tenho que dizer: T deveria ler tais detalhes que escreveu. Creio que ela adoraria.

E que bonita forma de descrever o momento.

Caro Oliver,
Não abandonarei os Campos de Morango. Ele continuará sendo meu blog principal. É que Elisa cresceu e precisava de um blog só dela. rs No más intenções, falo as verdades que não diria em textos bem elaborados. É que ainda estou tímida. haha

Fico feliz que acompanhe as aventuras desta louca chamada Elisa.

Beijos pra você.

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Passei por aqui, espero a parte 3.
grande escritor, não demore ...

Grace Olsson disse...

Oliver,

a magia é algo que apenas quem sente sabe definir em todas as suas nuances.

Oliver, conceituar felicidade é algo subjetivo. E as tradicoes suecas eu as respeito. Assim como poeco que a familia do meu marido respeite as minhas. mas as tradicoes de um povo estao intrinsecas nele, Oliver.
Se as tradicoes suecas dizem que NAO DEVEMOS VISITAR ALGUÉM SEM SER CONVIDADO, ISSO NAO SIGNIFICA QUE O POVO SUECO SEJA INFELIZ POR CAUSA DISSO.
FAZ PARTE DA CULTURA DESSE POVO.
Quanto ás pesquisas de Oxford sobre suicidio na Escandinávia, eu posso dar a certeza de que as pessoas que conhceo nao têm historico de suicidos na familia.
Nao posso escrever sobre o que nao sei e nao concordo, pois que, muita coisa é escrita sobre o escandinavo e muita gene se naseia em pesquisa disso e daquilo e nao sabe por que nao vivem aqui.
Eles vivem à maneira dele. E SINCERAMENTE FALANDO, EU ACHO INVASIVO UMA PESSOA CHEGAR NA MINHA PORTA PARA ME VISITAR SEM SER CONVIDADO.

AH, SICNERAMENTE, NAO GOSTARIA DE ESCREEVR ISSO AQUI. Mas vc nao deixou email.
Aliás, vc nao deixa nunca. E esse seu jeito de comentar pode NAO SER IDEAL PARA MIM, MAS EU ACEITO. ASSIM...
COMO ACEITO AS TRADICODLES DE MUTIOS POVOS SEM DEFINIR FELICIDADE PELA FORMA QUE O POVO BRASILEIRO DEFINE A DELE.


Para mim, ser feliz é fazer o bem...O resto é lorota..e esse lance de ser feliz com a barrigfa roncando..me soa mais a auto-flagelacao...


kkkkk

bjs e dias felizes

Lulu on the Sky® disse...

Obrigada pela visita. Sucesso pra vc.
Big Beijos

Vieira Calado disse...

Meu caro:

você escreve muito bem. E, apetece-me dizer, utiliza a língua, sem falhas, com um vocabulário muito variado, culto, como fazem os bons escritores.

Muito bem.

Um abraço

desde o outro lado do Atlântico.

Gata Verde disse...

És sem dúvida um excelente contador de histórias...

um beijo

Olhos de mel disse...

Meu conterrâneo lindo! Seria capaz de jurar que já havia comentado nesse post. Mas as vezes comento e ao invés de enviar fecho a janela. rsrsrs (atrapalhadas minhas).
Mais um conto espetacular, que deixa no ar, a vontade de saber mais... Ah! Essas paixões da pré adolescência...
Bom fim de semana! Beijos

By myself disse...

Sempre que aqui venho fico na dúvida se leio ficção ou realidade.
Se é ficção, meu caro, você é um génio. Se é realidade, fico com uma vontade de ter vivido a infância com a intensidade com que viveu a sua, lembrando cada momento...cada sentimento. Consegue levar-nos até lá, de facto.

Beijinho
É sempre um prazer vir aqui.

São disse...

Oliver, amigo meu, olhe minhas unhas...rrrsss
Bom fim de semana.

Dri Viaro disse...

Oi Oliver, Raquel já está pronta pra ser levada.rss

bjao otimo final de semana

Dri Viaro disse...

Oi Oliver, Raquel já está pronta pra ser levada.rss

bjao otimo final de semana

Dri Viaro disse...

Oi Oliver, Raquel já está pronta pra ser levada.rss

bjao otimo final de semana

Dri Viaro disse...

Oi Oliver, Raquel já está pronta pra ser levada.rss

bjao otimo final de semana

Dri Viaro disse...

Oi Oliver, Raquel já está pronta pra ser levada.rss

bjao otimo final de semana

mariazinha disse...

Só vim agora, mas li as duas partes de um fôlego só. Gostei imenso, e fico ansiosamente esperando a continuação.

Há gente que não tem mesmo o sentido da oportunidade, rais'parta o Carlinhos Galo Cego!

;p

Beijo*

Mariazita disse...

Caro Oliver
Perfeita descrição de sentimentos que os jovens experimentam ao despertar para o amor.
Como sempre...suas palavras levam-nos a "ver" as cenas com toda a nitidez.
Um bom fim de semana.
Beijinhos
Mariazita

Lampejos disse...

Oliver,

Pudesse eu ter tempo para ler o reino de palavras.

*******

Ruivos para a lua e arrulhos para ti!


Bom fim-de-semana!...

(a)braços,flores,girassóis :)

Lampejos disse...

...

Quis dizer: o teu reino de palavras.
Desculpa-me, sim!

:)

Clarissa Barth disse...

Mas bah, chego atrasadíssima na parte 2, já tem até parte 3!!! Engraçado teres dito a verdade sobre tua idade de 11 anos, a menina certamente teria mentido (eu fazia isto, hehe...) Um bebê porém sábio pois já sentia o poder das mulheres. Quero ver a terceira parte pois ainda estou esperando o uivo. BEIJOS!

Rosamaria disse...

No melhor da festa sempre tem um Galo Cego pra incomodar!

Passei a semana sem poder vir aqui. Estava com saudade das tuas histórias, que, como by myself, sempre fico na dúvida se leio ficão ou realidade.

Bjim.

Anônimo disse...

Grande Guilherme!

Ainda gosta de roça, cara? E quem é esta T? Alguma menina do colégio?

Grande abraço!

Luís Rodrigues

Zé do Cão disse...

õliver
Cá estou a acompanhar Uivando para a Lua..


Abraços

O Sibarita disse...

Olá Oliver!

Mais um magistral conto, belo tempo aqueles, heim?

Quisera ter uma infância dessa, ai Deus! kkkkkk Eu botava prá lenha!

Se quer nasci no inerior, sinceramente, eu tenho inveja de quem nasceu por lá. Acho que a vivência é muita da boa!

Agora me diag você colocou o Cralinho Galo Cego no esparro ou não? kkkkk

Desculpe a demora, é que estou atarefado no trabalho, sabe estamos colocando uma usina geradora de energia elétrica para funcionar, ela é a gás, está em fase de testes e ai não é fácil, ela tem que começar a operar até o inicio de dezembro, então, é pau viola mano véio!

abraços
O Sibarita